29/12/2016

Nobody Sees: Capitulo 7 - Drives me crazy

Resultado de imagem para justin bieber gif what do you mean

Skylar Mayer P.O.V 
Empurrei aquele idiota pesado na cama e ele estava realmente desacordado, dei alguns tapinhas em seu rosto e nada! Pronto, agora vão achar que eu matei ele, merda, bem que eu queria. 
Aproveitei um pouco da situação e lhe dei um tapa que quase arrancou minha pele, e a marca da minha mão ficou certinha em seu rosto, não consegui conter a risada e levantei da cama indo até o corredor e chamando o segurança, falei a verdade a ele, me viu e broxou, ficou com vergonha e caiu duro, ele me olhou estranho e comunicou ao rádio para chamar o médico de Justin, por dentro eu tava só a risada, mané.
Em poucos minutos aquele coroa chegou e me perguntou o que aconteceu.
- Tio, o médico aqui é você, se eu soubesse oque tinha acontecido eu não te chamaria - falei e ele me olhou por alguns instantes e voltou a examinar o defunto gostoso.
- Ele esta anestesiado, quando ele acordar ele tem que tomar essa cartela de remédio por três dias, Justin sofre dessas coisas a um tempo, é adrenalina demais - ele disse guardando suas coisas quando terminou de olhar o merdinha Bieber.
- Fala isso para os negões pica grossa do Bieber, não é pra mim não - falei dando as costas e desci o deixando ali com cara de otário.

20/12/2016

Nobody Sees: Capitulo 6 - Are You Okay?

Resultado de imagem para justin bieber gifs confident

 Skylar Mayer P.O.V
Acordei com meu corpo extremamente relaxado, abri meus olhos e olhei para o lado, o puto gostoso não estava lá. Me repeitou bem, eu falei que de manha era pra ele cair fora. Levantei-me fui ao meu armário e tinha umas roupas lá, troquei de roupa e fui procurar a America.
- Já ia te acordar – topei com a America assim que sai do quarto e eu sorri.
- Vamos arrumar essa bagunça antes de sair – falei indo em direção ao quarto da minha mãe.
- Já forrei a cama e arrumei praticamente tudo, eu acordei mais cedo quando os meninos foram embora – ela disse e eu dei ombros.
- Então vamos logo, temos que tomar café ainda – falei e descemos, fomos direto para o carro e America estava feliz demais pro meu gosto.
- Você nunca ficou tão feliz por dado pra ele – falei revirando os olhos e ela gargalhou
- Sei lá, eu só gosto muito quando eu estou com ele, e eu já tava querendo transar a muito tempo – ela disse arregalando os olhos e eu ri.
- Ontem eu transei com o Justin – America deu uma freada brusca no carro no meio da rua e me olhou e deu um grito, eu só estava assustada.

18/12/2016

Nobody Sees: Capitulo 5 - A Abstinência!

Resultado de imagem para chanel celaya gif

Skylar Mayer P.O.V
- Fala, seu filho da puta? – o ouvi dizer no telefone quando se sentou no sofá. Peguei um numero de alguma pizzaria e encomendei seis pizzas, é exagero eu sei, mas vai saber quanto esses dois comem, o Ryan é uma mula então três é só pra ele.
- CALA A PORRA DA BOCA, CHAZ, VOCÊ NÃO TINHA QUE TER MANDADO ISSO PRA NINGUÉM – Percebi que irritação da fera, ele estava vermelho e com muita raiva.  – EU VOU MANDAR A PORRA DA LOCALIZAÇÃO E EU QUERO VOCÊS DOIS AQUI EM 10 MINUTOS, OU EU ACABO COM VOCÊS, IGUAL ELES FIZERAM COMIGO E COM O RYAN HOJE – ele disse e desligou e jogou o celular no sofá.
- Mandou vir mais gente pra minha casa? – cruzei os braços na sua frente e ele bufou passando a mão no rosto, mas se fodeu, por que ele fez cara de dor, quando sua mão áspera passou pelos seus ferimentos.
- Olha, são dois amigos meus que trabalham comigo e com Ryan, que são de 100% confiança, eu preciso deles aqui pra eu ir embora, se não, não da, é mais complicado do que você pensa – ele disse explicando o que eu não queria saber.
Eu só sei que de gangster eu já to cheia.

10/12/2016

Nobody Sees: Capitulo 4 - Dying of wills!

Resultado de imagem para FanFiction Justin Bieber: Dangerous life

Antes de começar esse capitulo, eu queria falar para as pessoas que não gostaram da minha decisão de excluir a fic... Primeiramente que uma escritora que não está confortável escrevendo algo, ela não escreve bem, e é ai que surge a vontade de abandonar e tal! Eu realmente não to nem ai pra quem não gostou, por que a maioria aprovou e me disseram que está MUITO melhor que a versão antiga. Então eu estou feliz com isso. Quem gostava da versão antiga, só tenho á dizer... Que pena, mas foi um erro eu escrever aquilo, por que eu realmente odiava. Obrigada a todos que gostaram, e vamos a mais um cap da nossa históriaaa!!!!!!

LEIAM AS NOTAS FINAIS!
Imagem relacionada
Skylar Mayer P.O.V 
- Você vai me contar agora o que ele fez e falou - falei me virando pra ela, que estava atenta na estrada.
- Ele me pegou na escola sem eu ver e me colocou no carro dele e me levou para a casa do Justin – ele suspirou – Eu comecei a ameaçar ele falando que se ele não me soltasse eu nunca mais o perdoaria e ele me trancou em um quarto e depois de um tempo ele voltou lá mais calmo, ele estava muito nervoso então a conversa não deu em muita coisa, ficamos gritando um com o outro e ele falando que eu sou dele, e que eu tenho que voltar pra ele – ela disse e eu revirei os olhos.

02/12/2016

Nobody Sees: Capitulo 3 - His target!

Resultado de imagem para chanel celaya gif

Skylar Mayer P.O.V
America e eu ficamos domingo todo assistindo filme, segunda fomos para escola e como chegamos atrasadas, estávamos esperando na secretaria até começar o próximo horário. Eu estava distraída mexendo em meu telefone, morta de sono, quando America bateu minha perna aflita.
- O quer foi, caralho? – perguntei estressando pelo seu modo abafado
- É a Piper – ela disse apontando para a Piper que estava sentada do outro lado distraída com seu celular e seu fone.
- Eu sei, ela estuda com a gente desde a primeira série – falei obvia. Já brigamos com a Piper diversas vezes.
- Ela tava na festa do Bieber – quase engasguei com minha própria saliva.
- O que? – perguntei incrédula – Será que ela nos viu? Por que ela estava lá? Ela não frequenta esse tipo de lugar.

30/11/2016

Nobody Sees: Capitulo 2 - Vacilou, America!

Skylar Mayer P.O.V
O resto da festa eu não vi mais o Bieber, eu estava no bar tomando um energético, quando um cara mais ou menos do meu tamanho, cabelo mel com um sorriso maravilhoso começou a conversar comigo.
- Então Christian, eu não costumo mais a frequentar esse tipo de lugar – falei e ele estava atento em meu corpo. Acho que estava impaciente para a hora que transaríamos, mas ele vai ficar na espera, por que eu não vou. Eu sou má.
- Por quê? Tem coisa melhor que isso? – disse ele abrindo os braços e riu
- Isso uma hora acaba, e todo mundo que tava no meio acaba junto 
- Então por que está aqui? – Perguntou dando um gole na sua bebida.
- Por que minha prima me obrigou a vir – falei rindo e ele me acompanhou.
A conversa estava boa, quando vimos começamos a caminhar, quando percebi já estávamos nos beijando loucamente em um canto qualquer dali. Meu instinto da loucura estava começando a apitar e eu estava me segurando para não me deixar levar, mas ele era tão foda, apertava minha cintura e sua mão percorria por todo meu corpo como se já o conhecesse.
- Até que enfim que te achei, porra – senti meu corpo ser puxado do Chris e ele olhou estranhamente e eu percebi que era Ryan. Ele sem falar mais nada me pegou pelo braço e começou a me arrastar, percebi que Chris apenas saiu dali como se nada tivesse acontecido. Que idiota. 
- Seu idiota me solta! – falei lhe dando uma munheca e ele gritou de dor.
- FILHA DA PUTA – disse ele apertando sua mão.
- O que aconteceu? – perguntei ignorando seu draminha e ele me olhou com ódio.
- É a America – meus olhos ficaram atentos 
- Cadê ela porra? – perguntei impaciente
- Ela saiu chorando, a chave do carro dela está comigo, ela saiu a pé – disse ele e eu lhe dei um murro no ombro e ele gritou novamente e tirou a arma e apontou pra mim.
- Abaixa essa porra antes que eu te dou nos sacos agora – falei revirando meus olhos.
- Se você encostar em mim de novo, sua vadia – ele trincou os dentes – Eu esqueço por um segundo que você é prima da America e te mato – ele disse serio.
- A garotinha revoltada acabou? – falei e ele ficou vermelho de ódio – Por que ela saiu?
- Ela me viu agarrando uma vadia – ele disse como se fosse a coisa mais normal do mundo.
- E você esperasse que ela fizesse o que? Que ela olhasse, esperasse você acabar  e se atracar com você de novo? – falei lhe dando um empurrão.
- Mais ou menos isso – ameacei ir pra cima dele, mas ele segurou meus braços – Ela já devia estar acostumada – ele disse e se meus braços não estivessem segurados eu lhe daria um murro agora, mas como minhas pernas estão livres, acertei em cheio suas bolas. Ryan se contorceu e antes que ele pegasse a arma eu tomei de sua mão e tirei todas as suas balas, as deixando espalhadas pelo chão.
- VAGABUNDA – Ele gritou com a mão em sua intimidade.
- CRETINO – falei – Eu vou atrás da America, e tomara Ryan, tomara que ela nunca mais volte a ficar com você – falei e sai deixando ele ali com sua dor.
Fui até a saída, e vi que não tinha sinal da America por ali. Entrei novamente a procura do Ryan e o encontrei com um saquinho de gelo.
- Mas que viadagem! – abusei rindo - Ela não está lá fora.
- Viadagem você vai ver na hora que eu meter bala em você.
- Isso foi sexy – mordi meus lábios para implicá-lo e ele revirou os olhos. – Ryan, você não liga para America, deixa-a em paz – falei e ele me olhou feio.
- Não se meta nisso, isso é entre mim e ela – ele disse pegando as chaves da America no bolso.
- Vou atrás dela – ele falou e deixou o saquinho no balcão.
- Eu preciso ir embora também – falei e ele revirou os olhos.
- Estou pouco me fodendo pra você, Skylar, se eu a achar eu trago ela pra cá – ele disse e se virou saindo dali.
- RYAN, SEU FILHO DA PUTA – gritei e de longe ele mandou o dedo do meio no ar e sumiu. Bufei alto e peguei meu celular e mandei mensagem pra louca da America.
Liguei para um mototáxi e ele disse que demoraria por causa do horário. ÓTIMO.Se é que realmente viria. Fiquei na porta enquanto olhava pro céu e percebi que o tempo estava se fechando. Muitas pessoas estavam indo embora, olhei no meu celular e era exatamente 6:05 da manhã.  A casa estava se esvaziando e nada de Ryan e America. Maldita, ela vai se ver comigo! Começou a chover. ERA SÓ O QUE ME FALTAVA.
Começou sair faxineiras até dos bueiros e eu fiquei na parte de fora da casa, e senti que um pouco de chuva pingava em mim. Coloquei meu celular por dentro da minha roupa e eu estava atenta pensando de que modo eu mataria America. Eu tava indo pegar meu celular para ligar para a mãe dela e jogaria toda a culpa nela. America parece que tem merda na cabeça.
Eu tava começando a sentir frio até que ouvi uma gritaria de uma voz rouca e cansada. Me virei pra trás e vi Justin procurando algo jogando todas as almofadas no chão, cadeiras, copos, tudo. Até que ele olhou para a porta e me viu, me olhou estranhamente e veio caminhando até mim. Literalmente lhe dei as costas e comecei a olhar para fora, mas senti seu corpo próximo do meu e quando olhei pro lado, lá estava ele. Com os braços cruzados me olhando sério.
- Posso saber o que você ainda está fazendo aqui? – arrogante como mais cedo – Se não percebeu a festa acabou.
- Olha pra minha cara e vê se eu to com expressão de feliz por estar aqui – fiz a expressão mais merda que eu tenho e ele se manteve sério.
- Então o que faz aqui?
- Ryan traiu America, ela saiu daqui era 5 horas e pouco e ele pegou o carro dela e foi atrás dela e me deixou aqui, e até agora aqueles dois cuzões não voltaram – falei e fitei o chão e abracei meus braços por causa do vento frio.
- E você vai ficar ai fora na chuva? – arqueou as sobrancelhas.
- Acho melhor que ai dentro – apontei para a sala – Se eu escorregar nesse chão é capaz de eu ficar grávida, tem porra jogada para todos os lados – fiz cara de nojo e ele riu
- Olha, ele sabe rir! – falei irônica e ele fechou o rosto novamente. Ele ficava sexy quando faz isso.
- Você é a garota mais sarcástica que eu já conheci.
- Então se conformou que eu sou uma garota, não uma vadia? – dei um sorriso de lado e pisquei. Ele me olhou por alguns segundos e ficou me analisando - Tira foto – pisquei novamente.
- Entra, você não pode ficar na chuva – ele disse e eu neguei com a cabeça. – Anda bafos, você está com os olhos cansados, provavelmente America e Ryan estão em um motel. Ele vai trazer ela pra cá e depois você vai pra casa  – falou e eu apenas o encarei.
- Vadia é sua língua, que só fala merda – rebati - para de me chamar assim
- Minha língua tem várias utilidades – foi à vez dele de piscar.
- Não cansa de ser nojento? – falei revirando os olhos
- Olha só, eu vou entrar e você também vai – ele disse apontando para dentro da casa, com tom de mandão. 
- Não vou entrar! - neguei novamente
- Eu vou trancar as portas e você vai ficar na chuva – ele falou ameaçando. Porra o cara é muito insistente.
- Eu já estava na chuva – dei um sorriso sínico e ele bufou. Eu estava o irritando, adoro isso.
- Porra garota, ou é dentro ou é lá – ele apontou para a rua que estava logo depois da grande entrada da sua casa.
- Custa me deixar a ficar aqui? – cruzei os braços e bocejei.
- As faxineiras não gostam de ninguém andando enquanto elas limpam e os seguranças vão começar a chegar e fazer vistoria na casa, e se você tiver aqui, quero nem pensar no que eles vão fazer – ele disse olhando pra cima e minha barriga contorceu.
- Para de botar pressão, você quer que eu entre pra você me levar em um quarto e fazer sabe lá, Deus o que.– falei e ele me olhou rapidamente, comprimindo o riso – Eu durmo em pé lá na chuva – apontei para a rua.
- Quer saber? – ele disse se aproximando – Você vai entrar agora – ele disse pegando meu braço e me puxou para dentro e trancou a grande porta de madeira e eu o olhei brava e cruzei meus braços.
- Estou falando sério Bieber, se você tentar algo, eu juro por Deus, que eu não me responsabilizo por todos seus ossos quebrados. – falei trincando os dentes e eu vi ele se aproximar de uma vez e agarrar meus braços.
- Essa eu quero ver – ele disse cruzando os braços e me observava com um olhar desafiador.
Acho que nessas circunstancias eu estou em vantagem, eu não me importaria de mostrar pra ele tudo que eu aprendi em seis anos de Jiu Jitsu. Ele tava pedindo. Ninguém me obriga a ficar á lugar algum. Ele estava esperando eu fazer algo. Até que ele deu um passo pra frente, não tirando seus olhos de mim, e eu dei também com minha expressão séria. Ele pegou meu braço com força e me olhou firme. Sem eu menos esperar eu peguei seu braço dando um tranco e ele segurou o outro braço e o braço que eu tirei do meu braço foi na minha nuca e ele travou meu pescoço e colou nossos lábios.
Com o braço que estava livre eu tentava o afastar, socando seu peito e parecia nem fazer cócegas, é difícil realmente bater quando seus lábios estão colados no de Justin Bieber, o cara que tirou minha inocência e dobrou minha safadeza. A cada segundo que passava os socos ficavam mais fracos e quando me dei conta eu estava o envolvendo.
- Para – murmurei entre sua grande persistência em deixar seus lábios firme nos meus. Sua mão que estava apertando meu braço passou para minha cintura e eu senti meu corpo reagir de alguma forma. Hormônios é uma merda. Pousei minha mão em seu peito e entre abrir meus lábios e sua língua se adentrou com tudo, iniciando um beijo quente e desejado.
Ele movia minha cabeça de acordo com os lados que ele queria. Justin sugava meus lábios ferozmente e me apertava contra sua cintura me deixando excitada demais. Isso era uma merda maravilhosa. Rodeei meu braço em seu pescoço o trazendo mais para mim e ele começou a andar e me jogou no sofá que havia ali, sua mão foi para minha coxa a apertando, eu me segurei, mas não arfei, sei que se eu arfasse seria um aviso de “Vamos transar, você me deixa louca”. Sua boca desceu pelo meu pescoço e ele deu uma mordida forte ali e eu cravei meus dedos em sua pele e vi-o sorrir satisfeito. Bieber voltou para meus lábios e passou sua mão na parte de dentro da minha coxa e ali foi o ponto máximo, eu o afastei.
- Não quero sexo, mas eu aceito uma cama pra eu dormir – falei o arredando de mim e me sentando.
- Você começou, agora termina – ele disse e dava para perceber em seu rosto que ele estava querendo muito isso.
- Não, você começou! É sério, não quero, só aceito uma cama para me dormir, SOZINHA – enfatizei para ele entender. - Tem quartos de hospedes lá encima não tem? – falei me virando e comecei a andar e ele que vinha logo atrás.
- Essa é a minha casa, eu ainda não te autorizei a dormir – ele falou e eu parei no degrau onde eu estava e me virei pra ele.
- Você me obrigou a entrar, então sim, você autorizou – pisquei e voltei a subir.
- Você está se achando demais! Não acha? – ele falou e eu ignorei.
- Qual dessas portas, Bieber? – perguntei com cara de sono e ele olhou no corredor.
- Todos de hospedes devem porra até no teto, mas você que sabe... É só escolher – ele disse com um sorriso maldoso no rosto.
- Vai se foder – falei o encarando e ele ficou sério, especificamente, bravo.
- Nunca me mande se foder – falou apontando o dedo na minha cara, o qual eu mordi – VAGABUNDA – ele disse colocando o dedo na boca
- Olha como fala! – repreendi sua fala e bocejei novamente, abri a porta do meu lado e avistei uma cama bagunçada e uma poltrona. Cai nela e vi, Justin entrar.
- Vai se foder, Bieber, me deixa dormir – falei com voz de pirraça.
- Eu não me fodo, eu só fodo, se quiser eu mostro isso pra você – era incrível como a voz dele bravo ficava mais rouca que o normal, ele falava sério, com ignorância, porém ele estava tranquilo, era como se aquilo fosse o normal dele.
- Um dia quem sabe, mas hoje eu só vou dormir – falei o ignorando e fechei os olhos, me aconcheguei em seguida ouvi a porta ser fechada. Eu simplesmente apaguei.
- Acorda – senti meu corpo ser balançado, mas meus olhos estavam pregados e eu não conseguia os abrir, acertei um tapa em quem estava ali e senti meus olhos pesar novamente – ACORDA CARALHO – ouvi aquela voz ecoar na minha cabeça e eu abrir os olhos com dificuldade.
- Eu vou matar quem for – falei com minha voz rouca e com muita dificuldade abri meus olhos.
- É mais fácil eu te matar, anda vadia adormecida, a America acabou de chegar e está com medo de subir – Era Bieber, reconheci por causa da rouquidão extravagante.
- O QUE? - dei um pulo e meus nervos estavam a flor da pele – EU VOU MATAR AQUELA VAGABUNDA – Sai com sangue nos olhos e percebi que os passos firmes de Justin vinham me acompanhando
- CADE AQUELA VADIA? - falei em quanto eu descia.
- Calma, Skylar! – ela disse encostada na porta me olhando com certo medo.
- DEPOIS QUE EU ACABAR COM A SUA RAÇA, EU ACALMO -  fui pra cima dela e sentir alguém me segurando pela cintura, não seja por isso.
Percebi que era o Bieber só depois que eu já tinha o quedado no chão e suas costas estavam pregadas no mesmo.
- PORRA – ele gritou e eu peguei America pelos cabelos e Ryan tentou chegar perto e eu o olhei matador, ele apenas levantou os braços se rendendo e se afastou.
- Eu vou picar você, America – falei e lhe dei um tapa na cara – ACORDA GAROTA, QUE MERDA – falei emputecida e Justin me tirou de perto dela com certa força. Descontando a queda que eu lhe dei. 
- Eu mereci o tapa, agora a gente pode ir embora? – ela disse o mais calma possível, mas eu sabia que quando chegássemos em casa, ela ia dar a louca e a gente ia sair no tapa.
- Se seu chifre conseguir passar por aquela imensa porta, nós vamos – me alterei e ela me olhou com ódio e eu ouvi Justin dar uma risada.
- Você é ridícula, Skylar – ela disse negando com a cabeça.
- Não foi eu que sai dando piti no meio da madrugada pela rua, com o tanto de drogados que saía e entrava dessa casa! Não sou eu que está sendo corna, muito menos eu que deixei a minha prima em uma festa sozinha, com um bando de pessoas que ela não conhecia, sabendo das circunstancias que ela estava – soltei e os olhos dela estavam marejados.
- Chega, Skylar – Ryan disse sendo arrogante.
- FICA NA SUA OTÁRIO! - gritei para ele que quase veio para cima de mim, mas Justin o impediu.
- Deixa Ryan, é dá hora ver mulheres discutindo – ouvi o idiota do Bieber.
- Desculpa o que eu fiz, foi ruim, eu sei – ela disse apertando seus braços.
- Foi péssimo – falei e abri aquela porta e saí dali.
Senti passos vindo atrás de mim e America destravou o carro, eu fui ao banco de trás e ela arrancou o carro calada. Fomos assim até chegar na casa dela. Eu desci do carro a deixando para trás e abri a porta da frente e a Tia Paula veio correndo para nos ver.
 - O que aconteceu? Por que chegaram a essa hora? - ela perguntou preocupada e brava e eu apenas a olhei feio e falei:
- Pergunta para a idiota da America – falei e comecei a subir as escadas.
Eu fui direto para o banheiro, eu estava com cheiro de bebida que aquelas pessoas entornaram em mim, suada e me sentindo estranha. Meu banho foi muito demorado, por que eu esperava não ter que ver America quando eu saísse do chuveiro. Lavei meus cabelos, que hoje estavam mais dourados do que nunca. Eu sai do banheiro e America estava chorando com as almofadas entre as pernas, aquilo foi de partir meu coração. Mas fingi que não me comovi e fui até o armário e peguei minhas roupas e vesti ali mesmo, to nem ai com ela.
Depois disso eu me sentei em seu lado e fiz ela me olhar. Eu não aguento ver ela assim, droga
- Me desculpa – falei olhando com toda sinceridade do mundo pra ela.
- Eu que tenho que te pedir isso – ela disse fungando e eu a abracei.
- Vadia você é muito louca e nós duas estamos erradas – beijei seu rosto.
- O Ryan é um idiota – ela disse chorando mais ainda.
- E aonde ficou com ele esse tempo todo? – perguntei e ela se escondeu com medo de falar
- Transando
- E por que fez isso depois de tudo? – perguntei o mais calma possível, para eu não começar a xingar de chifruda.
- Por que Skylar, eu sei que ele gosta de mim, ele só não aguenta ficar com uma só – ela me olhou e limpou suas lágrimas – Quando eu falei pra ele que eu não queria mais namorar com ele, o Ryan ficou irado, começou a querer me beijar e falar que eu não podia fazer isso com ele, mas eu não estou aguentando mais ele fazendo essas coisas, sempre você tentava me avisar e eu ignorava, mas eu ontem o que eu vi acabou comigo! – falei e abracei enquanto ela gritava de tanto chorar. EU VOU MATAR AQUELE FILHO DA PUTA
- Eu vou falar com ele – falei e ela me olhou assustada
- Não, deixa que eu resolvo isso... – ela disse quase em suplica.
- Mas... – ela me cortou
- Mas nada – ela disse firme e eu me conformei. Ficamos em silêncio por alguns segundos e para quebrar o clima, eu falei:
- Justin me beijou – falei e ela se assustou.
 - O QUE? - ela gritou.
- Sim, ai tava ficando quente demais, eu parei e fui me deitar em uma poltrona em um quarto que fedia a gozo, mas tudo bem – falei dando o ombros.
- E o que achou? – ela perguntou dando um leve sorriso.
- Ah, ele beija bem – fiz pouco caso e ela me deu um empurrão com o ombro.
- Para Skylar, fala logo de uma vez – ela já sabia que eu ia acabar falando.
- Ele beija muito bem – falei mordendo meus lábios e ela riu – Ele tem uma pegada do cacete, é gostoso demais, mas é um filha da puta que eu quero distância – falei e ela abaixou o olhar.
- Quer um conselho? – afirmei com a cabeça - Não se envolva com um filha da puta, ao menos que ele pare de ser filha da puta por você.
- Não fica assim – falei beijando seu rosto. – Ryan vai perceber o quanto você é boa pra ele e vai virar homem, nem que seja na marra – falei e ela deu uma risada – Se nada der certo, arruma uma desculpa e leva ele lá no dojo, que eu dou um trato nele – falei e ela gargalhou.
- Por isso que eu te amo – ela me abraçou forte e a porta foi aberta, era a Tia Paula.
- Que bom que se acertaram, a America me contou o que aconteceu – ela sorriu – Não precisa se preocupar, eu não vou contar pra sua mãe, Sky... – sorri agradecida.
- Obrigada, tia – ela sorriu e veio beijando minha testa e depois a de Mare.
- Vou preparar um lanche para vocês – ela disse e saiu do quarto.
O celular de America começou a tocar e vi que era o Ryan. Ela ia atender, mas eu impedi.
- Sabe por que ele pisa encima de você? – ela me olhou e eu coloquei seu celular debaixo da minha bunda. – Por que você é fácil demais, é só ele te ligar, falar abobrinha que você volta pra ele, se valoriza Mare! Deixa ele rastejar, seja fria, seja irônica, isso que deixa homem louco – ela me olhava com atenção – Ontem Justin tinha todos os motivos para meter bala em mim, mas sabe por que ele não fez isso? – dei uma pausa – Por que ele sentiu foi tesão pelo jeito que eu falei com ele.
- Queria ser como você – ela suspirou – Você tem todos que você quer, você deixa qualquer um doido, Skylar – ela disse para baixo.
- Você também pode ter, mas tem que agir do jeito certo – meus conselhos geralmente são ótimos - Esse tipo de cara, pisa em mulher sem dó alguma, então quem não quer pisada, pisa neles, simples.
- Eu posso tentar fazer isso – ela disse se livrando daquela cara de choro e tristeza e sorriu e eu fiquei muito feliz com isso.
- Você tem me sorte de me ter – me gabei e ela riu.
- Por onde vamos começar? – ela perguntou.
- Deixando Ryan com ciúmes – falei e ela fechou a expressão.
- Mas para isso eu teria que estar no mesmo ambiente que ele, e você teria que estar comigo,  se ele vai estar, Justin vai estar, o resto dos meninos vão estar, e as vadias também estarão, ele vai ficar com algumas delas, para descontar – ela disse sua linha de raciocionio – E agora vai demorar para Bieber dar outra festa, geralmente é uma por mês, agora eles vão em boates e festa de outros gangsters... A gente não vai nesse tipo de festa mais – ela disse tentando utilizar aquilo como obstáculo.
- E quem disse que a gente não vai? – perguntei.
- Do que você está falando? – ela ficou sem entender
- Mas a gente volta á ir, até resolvermos isso... – ela queria sorrir
 Ainda tem nossas identidades falsas? 
CONTINUA?
Fiquei muito feliz pelos 5 comentários do capitulo 1, por que como eu exclui a fic, achei que nem dariam a minima para a nova versão, mas deu e eu fiquei muito surpresa...Estou me dedicando pra caralho pra essa fanfic, só Deus e a Brenda sabe o quanto kkk! Espero muito que gostem!
Não se esqueçam que eu já editei os 4 primeiros capítulos de Escolha Perfeita, que eu estou fazendo uma reescrita, mudando algumas coisas e concertando erros... Está ficando muito melhor!
Acredito, que muitas de vocês estão de férias, então quero desejar ótimas férias para vocês e que curtam muito as fanfics daqui do Blog, por que essas férias eu vou postar praticamente todos os dias...
SEGUE O BLOG, COMENTE E UM BEIJOOO GATINHASSS, MANDSXX

BLOGS ATIVOS:

29/11/2016

Nobody Sees: Capitulo 1 - The Party!

Fanfic / Fanfiction Nobody Sees - Capítulo 1 - A maldita festa!
Skylar Mayer  P.O.V
Eu estava sentada em minha mesa com a cabeça baixa até ouvir a voz de America no pé do meu ouvido, ela falava baixo para ter certeza que ninguém escutava.
- Skylar você não me respondeu até agora – ela bufou e eu revirei os olhos  - Vai comigo nessa porra de festa – ela disse cruzando os braços e se emburrando.
- America – respirei fundo – Quantas vezes vou ter que dizer não? – fui grossa, mas eu já estava cansada dela ficar me pedindo isso.
- Milhões de vezes – ela persistiu – Por que não vou parar até você falar que vai comigo – chata. Que porra de prima eu fui arrumar – Quando Ryan for conversar com os amigos dele, eu vou ficar sozinha? – ela dizia com um tom de birra.
- America, você sabe que eu não frequento mais esse tipo de festa, eu quase... – Ela me interrompeu
- Morreu da última vez, eu sei – bufou – Mas você não pode fugir das coisas para sempre. Se você está limpa de drogas, bebidas, sexo e tudo isso... Você não vai se entregar – ela disse querendo me passar conforto.
- Não sei, Mare – falei deitando minha cabeça na mesa e senti meu cabelo ser puxado para eu levantar – VADIA – gritei e o professor me olhou repreendendo o que eu disse.
- Desculpa – sorri sapeca e ele apenas voltou sua atenção ao que estava fazendo
- Vai comigo, por favor, com você ficando na minha casa, seus pais não vão saber – ela disse com aquele sorrindo enorme.
- Mas quando eles chegarem e eles descobrirem, eles vão me matar.
- Minha mãe sabe que vamos a uma festa, ela não vai falar com a sua mãe – ela disse – Não vamos voltar muito tarde.
- America...
- Por favor. Tio Mayer e a Tia Lucy vão chegar só em três semanas -  ela disse fazendo pirraça novamente. Essa vadia é muito chata
- Eu vou, se você prometer não falar a palavra “festa” até hoje a noite – falei cansada com aquilo e senti meu rosto ficar melado por causa do beijo que ela me deu.
- Por isso eu amo você – ela disse pegando o lápis da minha mão e percebi que tinha uns garotos olhando para nós duas, mandei o dedo do meio pra eles, e voltei minha atenção para a America
- Tirando que você vai ver o homem que te deixa toda molhada – ela disse gargalhando e eu me mantive séria.
- Olha para minha cara e vê se eu achei graça - fechei minha expressão e ela conteve o riso.
- Não mente pra mim, Skylar – ela revirou os olhos – Aquela vez que estávamos naquela boate que a gente fugiu com o Patrick, você ficou com raiva por que foi embora sem dar pro Bieber – ela falou.
- Eu estava bêbada, eu nunca nem conversei com ele – falei tentando manter minha expressão.
- Mas hoje você vai conhecer, e vai ver que merda de pessoa ele é – ela falou e o sinal tocou.
- Vai se fuder, America – falei e peguei minha bolsa e sai da sala e ela veio atrás de mim.
O corredor estava cheio de gente, e eu só fingia que ouvia America, mas na realidade não estava prestando atenção em nada que ela falava. Nossa, como eu odiava aquelas garotas que me olhavam com superioridade, mas nenhuma mexia comigo por que eu faço Jiu jitsu e elas se cagam quando eu ameaço bater naqueles rostinhos, mas eu não faria isso, seria perda de tempo.
America foi para o corredor do armário dela e eu fui para o meu, digitei minha senha e o abri pegando as coisas que eu precisaria para a próxima aula. Até sentir um cheiro forte e maravilhoso do meu lado.
- Não cansa de mim? – perguntei me virando para Pedro que se encontrava com aquele sorriso sapeca na minha frente.
- Vim ver como você está – ele disse beijando meu rosto
- Ai que lindo esse melhor amigo protetor – falei apertando suas bochechas.
- O que vai fazer depois da aula? – perguntou e segurou meus materiais para me arrumar o cadarço do meu tênis.
- Vou a uma festa com a America – ele arregalou os olhos – E não, eu não vou fazer merda, eu vou me comportar e voltar para casa sã, prometo – falei sorrindo e pegando meus materiais. – E você? – fechei a porta do armário e começamos a caminhar.
- Eu vou foder umas gatinhas hoje – eu fiz cara de nojo
- Você é nojento, Pedro – falei balançando minha cabeça tirando aquelas palavras de lá- Cadê o romantismo? – falei rindo
- Ta aqui ó – ele pegou em seu pau e eu revirei os olhos saindo dali rindo.
- Até mais, idiota – falei quando já estava longe ele apenas gargalhou e seguiu seu caminho.
As aulas de hoje foram inúteis como sempre, eu já disse que odeio escola? Eu gosto das pessoas e do que fazemos, mas estudar não é comigo. Isso não é vida pra ninguém. America e eu matamos umas duas horas de aula no banheiro do segundo andar e quando bateu o sinal, nós fomos embora. Cada uma em seu carro e nos encontramos na porta da casa dela.
- Boa tarde tia Paula – falei beijando seu rosto e America fez o mesmo. Ela estava preparando algo para gente comer, aquele cheiro maravilhoso entrou em minhas narinas e eu fiquei paralisada de tanta fome. Quando nos servimos eu devorei aquilo tudo e Mare me olhava estranho.
- Não come a quantos anos, Sky? – perguntou e eu mostrei meu dedo do meio pra ela.
- Deixa a menina comer em paz – a mãe dela lhe deu um tapa na cabeça que me fez rir.
- Eu vou treinar – falei quando eu acabei de comer, elas assentiram e eu subi, tomei um banho, coloquei meu kimono e America estava pronta, ela iria assistir o treino hoje?
- Vai ir hoje? – perguntei pegando as chaves do meu carro.
- Sim, para garanti que você não vai se atrasar para irmos a festa – falou se dirigindo a porta e eu segui. Idiota.
O treino começou.
Sensei ni – Marcelo faixa roxa gritou e todos ficaram na formação de frente para o Sensei Leo. – Rei !
Onegai shimasu – fizemos a reverencia e ele se reverenciou diante de nós e entrou no tatame.
Shomen ni – Sensei gritou de frente para o quadro do mestre e ficamos em posição. – REI!
Arigatou Gozaimashita – Respondemos em um coro e demos inicio ao treino.
Hoje o treino estava pesado, teve muitas técnicas e America olhava tudo aquilo em um tédio sem fim.  Eu sorria para ela que batia as mãos no pulso indicando as horas, eu apenas revirava os olhos e voltava a lutar. Fiz vários rolas hoje, lutei com bastante faixas roxas e o sensei mandou fazer o circulo. Fizemos e ele calado começou a observar cada um, essa era a parte que o silencio pairava e todos ficavam ansiosos para ver quem ele graduaria.
- Skylar, pro centro – ele apontou e vi meus amigos sorrirem, America se levantou e já pegou o celular para registrar, hoje sim é o melhor dia da minha vida – Você passou por muitos momentos que eu tive que te bater muito aqui dentro pra ver se você concertava, me deu trabalho como uma filha desobediente, mas eu nunca vi uma lutadora se dedicar tanto a uma arte igual você faz -  meu rosto doía de tanto que eu sorria – Você mudou de vida e mudou na sua forma de lutar, por isso te chamei ao centro – ele disse pegando o esparadrapo e colocando um grau na minha faixa, logo mais um. EU NÃO ESTOU ACREDITANDO  – Você merece – ele disse e eu o abracei e todos aplaudiram, vi Taynara me olhar com uma cara nada boa. Ela acha que só ela pode ser graduada, que ela é melhor que alguém aqui. Ridícula.
O treino acabou e fomos embora. America estava feliz por mim, as fotos ficaram maravilhosas.
- Agora sim eu quero ir nessa festa – falei rindo e ela acelerou o carro para chegar em casa rápido e nos arrumar.
Coloquei um vestido braço liso, com duas alças finas, ele batia um pouco depois da bunda e era perfeitamente colado em mim, passei uma maquiagem simples, por que se não ficaria parecendo uma vadia naquele lugar, e lá o que mais vai ter, é isso.
Já podíamos ouvir o estrondo quando o carro da America se estacionou poucos metros daquela imensa e luxuosa mansão. Esses caras viviam bem.
- Vem – ela disse me puxando e meu ouvido doeu com aquelas gritarias e a musica alta. Minha careta era visível.
- Eu me sinto mal só de entrar em lugares assim – suspirei –  Eu acho que não foi uma boa eu vir – falei e ela pegou na minha mão e ignorou o que eu falei e começou a me arrastar.
- Oi meu amor – ela disse beijando Ryan, que logo pousou sua mão na bunda dela.
- Oi encosto – falei passando por ele e o ignorando.
- Por que você trouxe essa garota? – o ouvi perguntar e olhei para America, para ela vir e ela olhou pra ele.
- Por que ela não pode ficar trancada dentro de casa – falou e ele revirou os olhos.
- Mas animal silvestre fica é preso mesmo – ele disse e cheguei por trás dele e segurei seus dois braços.
- Fala isso de novo seu verme, que eu quebro sua coluna aqui, com apenas um movimento – falei e ele se virou rapidamente de frente para mim.
- Eu tenho uma arma – ele disse arqueando as sobrancelhas
- Enfia ela no seu cu, que melhora seu humor rapidinho – falei serena
- Você vai ficar sem amiga, America – ele falou
- Chega vocês dois, que implicância!– ela disse ficando no meio de nós e o olhar de Ryan foi em uma loira vadia que passou em seu lado e logo acertou um tapa na bunda da mesma.
- CRETINO – gritei e America se virou para ele.
- O que ele fez? – ela perguntou sem entender.
- Bateu na bunda daquela loira – apontei pra garota
- Verdade, Ryan? – America perguntou e ele revirou os olhos.
- Vou ir beber, a gente se vê – ele falou e saiu dali e America bufou.
- Ta vendo o que você foi arrumar? – a olhei e ela ignorou indo direto para o bar.
Nunca adiantava eu falar com ela que o Ryan não prestava, eu já vi ele traindo ela diversas vezes, ele revirando os olhos quando ela falava com ele, quando ela estava o abraçando ele fica sério quase pedindo para ela se afastar. O problema é que America é muito apaixonada por ele e não acreditava em ninguém, então eu apenas parei de me importar e deixo ela fazer o que ela quiser, ela literalmente é a menina mais corna que eu conheço, mas ela não aceitava isso e vivia essa ilusão.
Estávamos no bar e America pegou um copo de bebida. Eu não bebo então eu fiquei apenas fitando o lugar e observando as pessoas, até que eu vi o Bieber sentado em uma poltrona distante com duas vadias sentadas em seu colo. Que cafetão da porra.
- Vai lá também – America disse – Sempre tem lugar pra mais uma – eu quase peguei seu copo de bebida e entornei em sua cabeça
- Eu não ficaria com ele – falei simples e ela riu
- Você daria pra ele – ela gargalhou
- Você está cheia de graça hoje, não acha? Ryan te deu chá de palhaça? – ela ficou séria
- Esse seu mal humor é falta de sexo – ela dizia tomando sua bebida.
- Estou bem, já transei demais na minha vida – falei revirando os olhos.
- Ainda bem que você admite isso -  ela disse fitando Bieber, que nos olhou assim que nós o olhamos.
- Desvia o olhar – falei e nós viramos e saímos andando dali.
A musica estava começando a me consumir e quando me dei conta eu e America dançávamos igual duas loucas, ela estava atrás de mim e íamos rebolando juntas e percebi quase todos os olhares se voltarem para nós duas. Uma coisa que eu não tenho é vergonha e America muito menos.
Ryan nos comia com os olhos e percebi que vários caras se colocaram em seu lado e vi que um deles era o gostoso do Bieber. Ele nos olhava e falava algo com seus amigos e sorria logo em seguida, tomando seu copo com provavelmente uma bebida muito forte.  A música acabou e eu e America nos olhamos e gargalhamos e todos os caras estavam mordendo os lábios e todas as vadias com cara de merda por não terem a atenção do lugar.
- Belo show – Ryan chegou sorrindo – Podem fazer isso de novo hoje no meu quarto – ele mordeu os lábios e eu fiquei incrédula.
- Podem? – arqueei a sobrancelha
- Ele só está brincando, Skylar, para de ser azeda – Mare disse beijando a boa de seu namorado, que passou esse tempo todo de festa bem  longe de sua “namorada”, meu Deus como America, pode ser tão idiota? Eu sabia que ele não estava brincando, ele disse e mordeu olhando para minhas coxas. Se eu não estivesse em uma festa, eu o quebraria ao meio.
Sentei-me e peguei uma garrafa de água, fiquei lá mexendo em meu telefone enquanto America ficava se pegando com Ryan na parede ao meu lado, aquilo era nojento.  Tentei ao Maximo concentrar no jogo idiota que eu estava jogando até que America se pronuncia.
- SKY – a olhei – Vou ali, volto daqui a pouco – ela disse e Ryan apertou sua cintura. Puta que pariu, ela não cansa mesmo?
- Boa transa – falei sorrindo e ela revirou os olhos.
- Obrigada – Ryan respondeu e saiu puxando America dali.
Aqueles homens me olhando como se quisessem me devorar, eu gostava de atenção, mas depois de todas as merdas que eu fiz na minha vida, eu perdi a vontade de ser a rainha de todos os lugares. E esse lugar me dar um vontade de me jogar novamente nos meus prazeres eternos e ir embora com tudo menos a consciência. Mas eu sabia que isso não era bom pra mim, mas porra... É tão tentador.
- Belos rebolados – ouvi uma voz rouca na minha frente e eu acompanhei do pé, passando pelo peitoral que estava amostra, todas as tatuagens até chegar ao rosto de Bieber.
- Obrigada – falei voltando minha atenção ao meu celular. E senti ele o tomar da minha mão, eu o olhei incrédula.
- Vadia quando eu estiver falando com você nao me ignora – ele disse ainda com meu telefone na mão e eu tentava pegar, porém ele não deixava.
- Vadia é você – falei segurando seu braço firmemente e peguei meu celular. Ele me olhou incrédulo.
Ele olhou para meus braços e depois para meu rosto.
- Essa sua arrogância é falta de uns tratos – ele disse chegando mais próximo de mim.
- Da uma olhada – falei mostrando meus músculos do braço pra ele, que me olhou em choque, mas ele tentou não transmitir. – Tenta encostar a mão em mim – falei chegando bem próximo dele, sentindo sua respiração. – E não, eu não sou uma vadia – falei e me virei saindo dali, garanto que ele deve estar vindo atrás de mim, mas as pessoas o atrapalhavam de me enxergar.
Cheguei do outro lado da festa do lado de uma piscina que havia varias mulheres com seus seios de fora e fazendo tudo de possível dentro de lá. Velhos tempos...
- Achou que ia fugir de mim? – senti meu braço ser segurado e meu corpo se chocar com outro.
- Não preciso fugir de você
- Claro que não fugiria, por que assim como todas, você está louca para ficar com o Bieber aqui – ele disse sorrindo fodasticamente. – Ou você acha que eu não vi quando você me olhou quando chegou?
- Eu olhei para todo mundo quando eu cheguei – tentei não demonstrar nenhuma emoção. - Não quero você.
- Todas querem – ele disse simples e olhou para meu corpo, como se fosse uma mercadoria.
- Acho que você dá conta – ele disse mordendo os lábios e passou a mão pela minha cintura.
- Disse eu tenho certeza – ri – Você que não da – pisquei e o empurrei para ele tirar suas mãos de mim.
- Sabia que você é uma vadia má, e vadia má eu costumo enfiar o cano do meu revolver não minha rola – seu tom era ameaçador.
- Prazer conhecer você também, Bieber – falei cruzando meus braços.
- Já te vi em festa, garota – ele disse – Você é tão podre quanto essas daí – ele disse apontando para as vadias da piscina. – Não vem pagar de Virgem Maria na minha festa, por que eu sei que você não é. E cuidado em esbarrar comigo de novo por ai, por que hoje eu estou de bom humor, não queira me ver sem paciência – ele disse, deu um gole na sua bebida e se virou para sair.
- Pode deixar, eu pergunto o Ryan, quando você tiver estressado e eu volto – gargalhei e ele parou e se virou lentamente.
- Como é que é? – ele fechou totalmente a expressão.
- Virei gravador pra ficar repetindo? – eu estava brincando com fogo.
- Não medo de morrer mesmo não é? – ele disse segurando meu braço com força.
Em um movimento rápido eu passei minha perna através da sua e segurei em sua cintura e passei o cano do seu revolver nas suas costas desnudas.
- Não brinca com quem você não conhece Bieber – falei e ele me olhava sério. Eu entreguei sua arma.
Ele a apontou para minha barriga e a destravou.
- O que está acontecendo aqui? – Ouvi America chegar desesperada e colocou a mão na boca quando viu a arma.
- Conhece essa garota, America? – Bieber perguntou pra ela.
- É minha prima seu idiota – ela disse me puxando para seu lado e eu ainda estava com tédio.
- Então, cuida dela melhor, por que se eu pegar, eu brinco depois jogo fora – entendi sua dupla interpretação, indicando minha morte.
- Não encosta nela – America disse.
- Não começa America, ele não vai fazer nada comigo – falei acabando de vez com aquele assunto.
- Você acha mesmo que eu não tenho coragem? – ele foi ameaçador.
- Ter tem Bieber, mas não vai fazer isso – expliquei
- Por que acha que eu não faria? – Seu tom abaixou
- Por que você não desperdiça um corpo bom – falei passando as mãos na minha lateral e seu olhar acompanhou minha mão.
- Tem razão, mas coisa usada eu jogo fora – ele disse colocando sua arma na cintura novamente.
- Não jogou sua idiotice – falei e ele passou a mão no rosto incrédulo.
E ele veio para cima de mim quando America o segurou
- Quer ajuda, Bieber? – Ryan disse e eu o metralhei com os olhos.
- Bieber – ri – Sabe por que você está com esses olhos perdidos?
- Por que? - mordeu os lábios me olhando
– Porque que você está me maliciando? Por que você gosta de ser enfrentado por garotas atrevidas – falei quase num sussurro em seu ouvido e percebi ele ficar rígido.
- Então por que não me mostra essa garota atrevida sabe fazer, como diz? – ele mordeu os lábios.
- Viu, America? Eles vao transar agora – Ryan falou – Vamos – ele saiu a puxando dali e eu estava rezando para ela ficar. Ela me olhou um olhar de “Sai daí e vem “ e desapareceu.
- Por que eu já disse, Bieber – passei os dedos em suas correntes – Você não dá conta – ri pelo nariz e ele não sabia se respondia ou atacava meus lábios.
- Vadia – sussurrou.
- Já disse que eu não sou isso – falei – Não mais – consertei
- Então virou Virgem Maria mesmo? – ele riu
- Meu cabaço não volta – falei sarcástica – Justin melhora suas festas, esse lugar aqui está parado demais – sorri – Vou indo – me virei e comecei caminhar.
Da ultima festa que eu fui, eu quase morri por causa disso. Eu enfrentei um gangster e ele atirou um pouco acima da minha costela. Mas isso tudo era tão tentador para mim. Minhas postura diante desse mundo nunca vai mudar, mesmo eu fazendo de tudo para isso acontecer.
Continua? 


Preferi Bem mais essa versão, está mais completa e a historia vai mudar totalmente, voces vão amar, juro. Não vou demorar a postar, prometo, agora é ferias então vai ser sempre... Toda semana, um dia sim um dia não, dependendo da quantidade de comentários eu posto mais de uma vez por dia. 
Queria agradecer a Brenda que me ajudou com tudo que eu precisava para melhorar minha fanfic, por que sim, as delas são as melhores e as mais divas de todas, e foi um prazer ter uma grande escritora/amiga me ajudar.... Todas as dicas foram anotadas ♥ haha!!

LEMBREM QUE EU ESTOU EDITANDO ESCOLHA PERFEITA, EU JÁ EDITEI OS 4 PRIMEIROS CAPÍTULOS, POR QUE EU ESTOU REPOSTANDO ELA NO ANIME, AI AO LONGO QUE EU REESCREVO EU MUDO A DAQUI...
COMENTEM MEUS AMORESSS!!!!!

BLOGS ATIVOS: