24/01/2015

Capitulo 6 - Escolha Perfeita

"Eu levanto e então caio fora, tipo o que está acontecendo? Eu bato na porta, ela sabe quem é, o que está acontecendo? O que está acontecendo, o que está acontecendo, garotinha, o que está acontecendo?"
Uma chance...Uma chance... Uma chance...Isso estava ecoando em minha mente, martelando aquela minha cabeça de uma forma apavoradora.
- Você esta confundindo as coisas – falei fria
- Você que não percebe nada, custa? Custa pelo menos dar bem comigo? - sua voz era de decepção, ele estava na espera de algo me comover e me deixar levar.
- Se você cooperasse seríamos amigos sim Justin – falei tentando sair de seu colo mas ele me segurou mais forte
- Cooperasse com o que? Em fazer de tudo para ter você e você sempre falar que sou um idiota? Imbecil? Estúpido? Que você me odeia? - Um nó se formou em minha garganta, por que não tinha justificativa.
- Não é isso ...
- É isso sim, você me trata feito capacho
Mas é o que você é... Mentira.
- Você me trata como uma merda também, Justin, não se faça de vítima... Sabe que não é – falei indignada nele me colocar como o monstro da história.
- As vezes para não dar bem na cara que eu sou o cara mais idiota por gostar de você, eu prefiro te odiar, por que você me odeia também - seus olhos procuraram o chão, mas pararam nos meus seios, então ele virou pro lado e eu fiquei tensa.
- É odeio mesmo – ele bufou impaciente – Nossa to brincando.
- Você odeia sim – falou ríspido.
- Mas por que você me irrita, me trata mal, por que você bateu no Zayn caralho? O que ele fez? - perguntei exaltando e sentindo meu rosto começar a pegar fogo.
- Rebecka ele estava se gabando para os amigos dele que tinha relado em você, eu não aguentei quando ouvi aquilo não, foi a maior falta de respeito o que ele fez com você. - eu queria achar fofo a atitude dele, mas eu estava tão brava que eu só conseguia enxergar eu matando esse loiro maldito.
- Ah claro até por que você me trata como uma princesa - revirei os olhos ironizando - E sim Bieber a gente ficou, a gente almoçou junto e você está com ciúmes - conclui e ele me olhou com cara de deboche.
- Não viaja garota, por que eu teria ciúmes de você? Uma coisa é gostar e a outra é se apegar, te liga. - ele disse grosso e eu dei uma risada nasalada, já estava demorando.
- Ta vendo? – desci de seu colo com força ficando em pé – você não controla, começa a se alterar, me ofender, mas que merda mesmo  - disse cansada já daquilo
- Desculpa... – se aproximou, ele tocou minha mão e eu a soltei rapidamente.
- Não precisa se desculpar – falei pausadamente e com frieza.
- Conversei com meu pai hoje e ele falou que se souber que estamos nos dando bem de verdade eles pensam em tirar a gente daqui antes do semestre acabar.
- Por que mudou a porra do assunto? – falei sem entender, ele sempre fazia isso, ele mudava de assunto com medo de piorar.
- Pelo o menos amigos? – sugeriu
- Justin... - revirei os olhos cansada daquele lance de amigos, não quero ser amiga dele.
- Pelo o menos tenta Becky, qual é! – ele disse inconformado
- Ta bom –  aceitei por que eu não queria mais confusão, se é melhor assim. Sermos amigos. Que seja.
- Jura?
- Sim
- Tudo bem – ele disse se aproximando mais com um sorriso de lado – Um abraço de amigo? – não deu, acabei sorrindo, e ele me abraçou.
Aquela pele quente, me encostou mais uma vez dando a mesma sensação do corredor e na hora do beijo, eu me sentia protegida, como se nada de mal pudesse chegar em mim enquanto eu estivesse ali, mas que merda esta acontecendo comigo? Isso não deveria acontecer, mas eu não mando nos meus sentimentos.
- Aqui está, Ryan – Melly entrou com Ryan nos assustando, eu e Justin nos separamos rapidamente levando um susto com a presença dos dois
- Abraçados? Sério? Eu só fiquei longe 2 dias cara, qual é a de vocês? – Ryan falou e eu e Justin rimos.
- Vou deixar vocês a vontade, mas se lembrem... Só tem até as oito – Melly falou e saiu.
Justin Bieber P.O.V
Eu me sentia a pessoa mais feliz e ao mesmo tempo um pouco triste, beijei a garota que queria que fosse minha e agora tinha ela ali nos meus braços, mas uma chance, ela não quis me dar, pelo o menos amigos certo? Isso resta. Com Ryan vai ser tudo mais fácil. Ele vai me ajudar nessa, eu tenho certeza.
Estava adorando sentir aquela pele fina e quente parecendo porcelana, e sua cabeça em meu peito, estava tudo bom... Atú Ryan chegar e estragar tudo... Ah qual é? Que porra de ajuda ruim? Pode voltar pro EUA Ryan. - pensei.
[...]
Contamos pro Ryan a história de dois dias, e ele ficou boquiaberto com tudo que aconteceu.
- Maninha qual é? Você não vai aguentar ser amigo desse bosta - ele olhou para Becky - ele é irritante – Ryan completou com uma careta
- Não fode Ryan, custei  chegar até aqui cara -  falei dando um soco em seu braço e ele gargalhou.
- Eu sei que ele é irritante Ryan, mas acho que essa de brigar é pra criança, e eu quero sair dessa merda de lugar, quero internet, quero Televisão, quero festa, quero shopping -  Becky falou fazendo o maior drama e eu me lembrei de uma coisa.
- Ei, quem disse que não pode ter Internet e Tv? Eu não podia estar contando isso  mas a Tiffany me mostrou uma coisa aqui na escola quer ver? -  sugeri a olhando e ela fez paisagem de curiosa.
- To dentro – Ryan disse empolgado e o metralhei com o olhar dando a entender que eu queria ficar sozinho com a Becky. Ele percebeu.
- To dentro do quarto, qualquer coisa podem vir e me chamar – Não aguentamos começamos a ri, minha barriga chegou a doer.
- Do que ta falando, Bieber? – perguntou com aquele olhar matador e sedutor, e o pior? O pior que ela não fazia esforço pra ser tão sexy assim.
- Vem que eu te mostro – Puxei a mão da Becky até a porta e passamos pelos corredores, e fomos para a parte de trás da escola, tinha uma porta escondida com uma placa escrito “produtos de limpeza”, mas não era nada disso.
- Que lugar é esse Bieber? – Adoro quando ela me chama de Bieber, fica sexy.
- Você já vai ver – abri a porta e entramos e ela ficou com a boca em um formato de “O”. Tiffany havia deixado a chave comigo.
- Isso parece... – Ela disse chocada e eu completei

        - Um quarto de luxo de Los Angeles? Pois é eu sei – falei rindo

- Por que me mostrou esse lugar? – perguntou se virando pra mim e cada pelo do meu corpo se arrepiou. Na minha cabeça eu estava matutando e tentando tirar os pensamentos safados quando eu a olhava e olhava para a cama.
- Ah não sei, achei que seria legal, vem vamos ver alguma coisa – a puxei para o sofá que tinha ali.
Aquele lugar era um quarto que a diretora tinha feito quando sua filha estudava aqui, ai ela deixou para Tiffany, que é uma inspetora aluna, só que a Tiffany não vem mais aqui, então ela me deu a chave... Motivo? Por que ela é safada e quer que eu a trague aqui para fazer algumas coisas.
Era um luxo só, mesa de jogos, televisão, computador, uma cama bem confortável, sofás... tudo.
- O que quer ver? – perguntei
- Qualquer coisa – falou rindo – que loucura isso aqui – sorri por saber que ela estava feliz e não com aquele pensamento de querer ir embora.
- Gosta de Smallville? – perguntei a olhando na esperança dela dizer que sim e ela abriu um sorriso
- É minha série favorita – ela falou empolgada
- A minha também – coloquei para passar um capitulo que eu gostava muito
Assistimos dois episódios de Smallville e depois assistimos a um programa de comédia que passou, ver aquele sorriso toda hora no rosto dela era a melhor coisa. Ela estava se divertindo muito ali.
- Ei, não esta na hora de voltarmos? – ela falou
- Quantas horas? – perguntei
- São seis e meia – respondeu
- Temos uma hora e meia ainda, mas se quiser voltar a gente vai, pode vim aqui quando quiser... Se for comigo – coloquei minha condição e ela riu.
- Vamos então – ela se levantou – Estou com fome.
- Gorda – falei e ela me olhou com um olhar matador.
- Você me chamou de que? – fez tom ameaçador.
- De linda - ela me encarou e começamos a rir.
- Espera... Antes de sair quero olhar um pouco a internet e vê o que acontece no mundo -  ela falou e se sentou em um computador.
- Ok, temos tempo.
Se passaram uns sete minutos e ela voltou.
- Como está o mundo? – perguntei a fazendo rir.
- Nada de interessante – respondeu e saímos, mas antes fechei o local.
Comecei a caminhar um pouco na frente dela e ela me chamou.
- Bieber – me virei pra ela
- Obrigada – disse com um sorriso enorme que me fez me sentir bem
- Que isso, é pra isso que serve os amigos – disse passando meu braço envolta de seus ombros.
- É... até que esse lance de amigos está indo bem – falou dando uma risadinha e ela suspirou olhando para o céu com borrões rosa e fomos para o refeitório. Quando chegamos damos de cara com o Zayn saindo de lá, aquilo me enfureceu.
- Oi – ele falou para Becky.
- Oi – ela respondeu meio sem graça e desfez meu braço de seu pescoço. Merda, volta aqui.
- Podemos conversar?- ele perguntou pra ela.
- Não – respondi me intrometendo e percebi que fiz merda, depois de falar.
- Qual é cara, você não é nada dela - disse me peitando - fica na sua.
- Fica na sua você, e sim eu sou amigo dela – falei o encarando
- Chega - ela entrou no meio - Sim, podemos conversar e Justin, depois nos falamos.
Não estou acreditando nisso.
- Ta - falei curto e grosso, saindo dali.
 Passei pelos corredores sentindo tamanha raiva, tava tudo perfeito antes daquele merda chegar, ela estava La comigo, íamos ficar ainda mais tempo, ai chega o imbecil.
- Justin – ouvi uma voz atrás de mim e era a Tiffany.
- Oi – falei sem animo em vê-la. Seu sorriso sumiu.
- Ah qual é? O que foi? - perguntou colocando suas mãos em meu ombro e eu os tirei.
- Nada – disse ríspido, tentei sair mas ela me cercou.
- Estou com fome, não quer ir fazer um lanche? – sugeriu e eu pensei bem, não seria má ideia, alias Zayn e Rebecka estavam lá, eu chegaria com Tiffany e um show aconteceria. Garanto.
- Sim vamos – disse e a guiei pela cintura, olhando com cuidado se nenhuma inspetora chegaria.
SIM, CINTURA.
 Chegamos La e eles estavam dando altas risadas, ele abraçava a cintura dela e colocava chantili na boca dela, que coisa ridícula, realmente virou festa. Tiffany bufava com raiva. Dava para ver o ódio transbordar na sua cara. E na minha havia uma mistura de nojo e vingança.

Ela gostava do Zayn? - a perguntei vagou em minha mente
- Vem vamos – a puxei pela mão e vi Becky me notar, eles se recompuseram, parando com a palhaçada que estavam fazendo.
 Entrei na cozinha com Tiffany e preparamos um suco, e vários sanduíches.
- Você gosta do Zayn? – a peguei de surpresa e ela deu um pulo de susto. Ri.
- É... - gaguejou - É complicado, digamos que caso infinito – falou abaixando o olhar
- É também só me meto nessas merdas – rimos. Ela queria ser menos vadia quando queria.
Pegamos nossa bandeja e saímos  e sentamos um pouco do lado deles, e começamos a comer
Becky dava altas risadas, e isso estava me deixando nervoso, por que no lugar da Tiffany aqui deveria ser ela. Mas ela preferiu ficar com o Zayn, então que agora se lasque.
Rebecka Ross P.O.V
 Zayn era a pessoa mais engraçada que conheci até hoje, ele me falava umas coisas que eu achava graça começava a rir, ele sempre me acompanhava, ele me contou alguns podres da Tiffany, fala sobre coisas aleatórias... Tudo havia assunto entre nós. isso era perfeito. A dupla ao lado não me incomodava, mas eu me incomodava de ser ela com Justin. Vadia.
- GAROTA SUA RISADA DE HIENA TA ME INCOMODANDO – Ouvimos Tiffany esbravejar
- Os incomodados que se retirem – a encarei com os olhos fulminantes.
- Você não acha que esta muito atrevida, garota? – ela falou se levantando
- Tiffany, para – Justin a repreendeu
- PARA NADA, ELA FAZ DE PROPÓSITO, O ZAYN FAZ DE PROPOSITO - ela disse gritando. Estávamos com medo de alguém chegar, já estava um pouco tarde e Tiffany não media o tom. 
Que garota ridícula!
- Fica quietinha e vai tomar seu suco e nos deixe em paz – falei voltando a me virar para Zayn e senti um liquido cair sobre minha cabeça e escorrer por todo meu corpo. Agora eu vou matar.
- Eu tomo o suco sim, mas antes prova e se vê ta bom... E ai ta no ponto? -  Não respondi nada, eu voei em cima dela a jogando no chão, eu dava tapas na sua cara, puxava seu cabelo, ela não sabia com quem estava se metendo.
- PARA! PARA BECKY – Justin me segurou pela cintura me tirando de cima dela e Zayn pegou a vadia que estava sem forças no chão. Otária!
- SUA ANIMAL! VOCÊ BRIGA FEITO HOMEM – ela gritou – OLHA O QUE VOCÊ FEZ COMIGO -e la choramingou olhando para o cabelo que estava no chão e seu rosto marcado.
- EU VOU FAZER É MAIS SUA VADIA, POR QUE EU JÁ TO SEGURANDO A MUITO TEMPO – Voei pra cima dela  de novo e Justin se assustou, mas a vadia me jogou do chão deu um soco na minha cara, senti o gosto do sangue na minha boca... Agora ela morre.
Levantei ela pelo cabelo e bati a cabeça dela na parede enquanto Justin tentava me segurar.
- Hey para, para Becky por favor, para – Justin me segurava e sussurrava  em meu ouvido, eu não sei o que aconteceu mas aquela voz rouca no pé do meu ouvido, controlou meu corpo, fui me acalmando aos poucos enquanto a vadia ainda gritava falando alguma coisa.
- Isso, calma – ele repetiu em meu ouvido e eu fechei o olho ouvindo aquela voz me invadir.
Respirei fundo e Justin me pegou e me puxou para um abraço, no qual eu me sentia protegida, ele me apertava e fazia carinho no meu cabelo. Me perguntei de novo. O que esta acontecendo? Desde quando fico assim com o Justin? 

Vi com rabo de olho a vadia se “recompor” e Zayn falar alguma coida com ela que eu não escutei.
- Vamos Justin? – ela chamou e eu fiquei boquiaberta se ele fosse, eu o mataria
- Pensei que você fosse melhor do que isso Tiffany, mas pelo visto você é como as outras - senti o desprezo na voz rouca dele e ela me olhou como se a culpa fosse minha - Eu não vou a lugar nenhum com você – ela o olhou incrédulo e Zayn estava me encarando.
- VAI DEFENDER ESSA VADIA? – Ela gritou

- Para de gritar, Tiffany - Zayn disse se pondo na frente dela.
- ELA NÃO É UMA VADIA - Bieber se alterou - Vamos sair daqui Becky - Bieber pegou minha mão e fomos caminhando até as escadas deixando Zayn e Tiffany na cozinha, caralho minha boca estava doendo.
- Acho que hoje é a minha vez de cuidar de você  -  ele falou pegando minha boca, onde estava machucado.
- Não precisa se preocupar, eu vou ficar bem - falei fitando o chão e tentei sair, mas ele me segurou com calma.
- Você não pode perder o controle desse jeito de novo - ele falou me olhando.
- Ah claro! - ri irônica - É por que você lembrou disso quando você brigou com o Zayn - falei e ele riu
- Ah ele mereceu - tentou justificar
- Ela também 
- Ok, estamos kits - ele disse rindo e beijou meus cabelos.
- Eu não entendo, já rolou tanta briga nessa escola, tipo você e o Zayn, eu e a Tiffany... O refeitório, gritos... e NINGUÉM da superioridade escuta ou ver  - falei olhando estranho para a escadas
- Ah essa escola é muito grande, tem muitos alunos - ele disse - mais de uns 5 mil, ou é sorte, ou é por causa do tamanho - explicou e dei ombros
- É deve ser.
- Agora vem aqui - ele pegou minha mão novamente e entramos na enfermaria. 
Não tinha ninguém, fiquei até com um pouco de medo, estava escuro, e tinha muito cheiro forte de remédio... Odeio essas coisas.
- To com medo - falei segurando seu braço e vi que ele se assustou com o ato.
- Calma babe, eu estou aqui - ele logo achou o interruptor e as luzes acenderam
- Senta - ele falou do mesmo jeito que falei com ele no dia que ele machucou
Me sentei  e ele se apoiou em meu joelho e fez um curativo na minha boca e na minha orelha, sim a vadia tinha feito um corte ali.
- Prontinho
- Obrigada Dr.Bieber - falei rindo 
- Dr. Gostoso - corrigiu
- O que vocês estão fazendo aqui? - chegou a Magali só de pijama com a expetora chefe em seu lado.
- Nós... - tentei falar e ela me cortou.
- Quero explicações - ela exigiu
- Eu explicaria se você não me cortasse - falei no mesmo tom e ela me repreendeu com o olhar.
 Contamos a ela o que aconteceu de verdade, ah... Não tao verdade assim, contamos que eu estava com fome e que Justin veio comigo por que ele também estava com fome e eu cai da escada, e fez um corte e ele me ajudou a fazer um curativo.
- Foi isso mesmo que aconteceu Sr. Bieber? - ela perguntou 
- Foi sim - ele respondeu
- Então voltem para seus dormitórios e vão dormir que já esta quase na hora - ela falou e saímos.

- Sim senhora - respondemos unidos e  fomos. 
 Estávamos naquela imensa escada que parecia que não teria fim, em um silencio que não me incomodava nem um pouco, falaria que esta até que bom.
- Não vai me dizer nada? - Justin interrompeu o silencio.
- Obrigada? - falei como se fosse obvio ele sorriu forçado. 
Ele estava triste? queria que eu falasse o que?
- De nada - ele falou e saiu andando na minha frente, os corredores agora se dividiriam, para a esquerda os femininos e para esquerda os masculinos e estava já na porta do seu quarto e quando ia entrar eu o chamei.
- Ei Bieber - ele me olhou - Você até que não é chato, gostei da sua companhia - ele sorriu abertamente 
- Também gosto da sua companhia, Becky - deu uma piscadela e entrou. O sorriso em meu rosto era evidente. 
Realmente não sei o que estava acontecendo comigo.


Notas Finais



GATASSSSSSSSS Comentem o que estao achando e obrigada pelos comentarios do capitulo anterior, se quiserem encher meu saco... conversar... dar sugestoes... falar o que estao achando... me cobrar capitulos e erros vanham ao meu ask
Ask. fm >>> http://ask.fm/amandagualberto7

20/01/2015

Capitulo 5 - Escolha Perfeita

Rebecka Ross P.O.V
Minha cabeça estava a mil, qual é a do Justin? Será que as meninas tinham razão? Ele ainda gosta de mim? Depois de tanto tempo, esse caralho não deu um jeito na vida? Qual é a gente cresceu e adquirimos maturidade. Esses jogos sexy não cola comigo, por que eu realmente só levo para implicância, ele tem uma pegada do cacete e suas mãos me deixou com muita tesão, mas porra, é o Bieber, aquilo ali, é o mais normal de nós dois, porem pela primeira vez estávamos sóbrios. Nunca me entreguei a nenhum homem, não vai ser pra o Bieber que eu vou liberar. Não mesmo. Fui para meu quarto, eu tinha que contar para as meninas. Elas iam pirar.
- Não Melly! A gente não se beijou... Isso seria nojento – fiz cara de nojo – Foi só amasso, ele me envolveu, passou a mão e tentou me seduzir, mas eu sou difícil – elas gargalham.
- VOCÊ É BURRA, eu tinha agarrado ele todo – Ela fez uma cara maliciosa que fez  Ceci rir. Eu não sei por que, mas eu odeio que falam que quer ele, é como se só eu pudesse o irritar, não deixo espaço para outra garota.  Sempre que posso eu atrapalho, igual ele faz comigo.
- Não fala mais isso – falei séria e elas ficaram desentendidas
- O que foi? Falar que eu o agarraria? – Melly arqueou as sobrancelhas.
- Sim – disse simples e elas gargalharam.
- Tem ciúmes, Becky? – Ceci perguntou contando a risada.
- Não é ciúmes, é só que eu não gosto que ele esteja com alguém, e detesto as pessoas falarem isso, eu geralmente só fico e ele também, a gente nunca namora, por que um atrapalha o outro, sempre é assim – falei simples, por que essa confusão retardada só eu e Justin que entendia. É um lance de possessão e ódio.
- Vocês são loucos – Ceci falou – Vocês deviam ficar juntos logo e parar de drama – ela disse revirando os olhos.
- Eu corto minha garganta se eu ficar junto com Justin um dia – falei e Melly riu – Ele é sexy, muito gato, mas nunca mesmo, eu NÃO faria isso – falei negando e elas fingiram que acreditaram.
- Uhum – murmurou Ceci
- Estou falando sério – falei ficando brava.
- Você finge e a gente também... Simples – Melly disse e logo em seguida riu.
- Vão tomar no cu – falei emburrada e elas me abraçaram.
Já estava na hora de dormir, as luzes foram apagadas, a inspetora veio revistar o quarto, mas meu estomago gritava por comida, então decidir buscar algo... Sem que ninguém me veja.
Desci as grandes escadas indo rumo á cozinha, olhava para os lados para verificar se não havia ninguém e eu tentava não fazer barulho, por que eu estaria ferrada em invadir a cozinha dos alunos para pegar algo.  Estava tudo escuro, não havia movimento de ninguém, ate que ouvi uma conversa interessante.
- Eu vou ter Justin em minhas mãos, ele é o garoto mais lindo dessa escola e eu acho que pode ser muito bom pra mim, aliás, isso ajudaria fazer Zayn se morder de raiva... – Fiquei boquiaberta ouvindo Tiffany falar aquelas coisas com suas amigas. Então ela queria brincar com o Bieber? Amor pra que ódio? A gente pode fazer isso juntas.
- Você ainda ama o Zayn?-  a ruiva perguntou
- Claro, mas ele vai pagar caro por ter me deixado, eu sei que ele ainda me ama e soube que ele esta afim da metida a besta da novata – metida a besta é sua mãe vadia.
- Então o que você vai fazer? – a outra morena perguntou
-  Ou eu esqueço Zayn com o Justin, ou eu o uso para fazer ciúmes, e depois... Eu mando a novata para o lugar onde ela nunca devia ter saído – Minha vontade era de sair de onde eu estava e bater nela até ela pedir para parar, só para eu bater mais ainda.
Perdi até a fome, subi correndo para meu quarto e deitei na cama de modo pensativa, essa garota é mais louca  do que eu pensei, ela é muito obcecada sei lá, que papo de doido. Isso é estranho. Será que ela é doida? Ah, não importa, mas se ela ta achando que vai me tirar daqui assim, ela esta muita enganada, se ela quer mesmo o Zayn, ela vai ter que tirar ele de mim. Amanha será um novo dia! Um dia perfeito até demais.
Acordei  e Melly e Ceci não estavam mais La, já devem ter descido. Então me troquei e desci logo em seguida. Quando cheguei ao ultimo degrau dei de cara com Zayn. Ótimo.
- Oi babe – falei sorrindo  ele retribuiu.
- Oi Becky – ele me abraçou e deu um beijo em minha bochecha.
Perfeito.
- Tudo bem? – Perguntei.
- Melhor agora que te vi – O sorriso em meus lábios eram gigantes, havia várias meninas vendo, e com certeza. Alias qual sua aula agora? – olhei meu horário em minha mão
- Física e a sua? –perguntei
- Biologia – fez uma cara triste e depois riu.  Nossa que sorriso.
- Ah – disse com tristeza, aliás, eu estava queria ser da sala dele. Não só pelo negocio da Tiffany... Ele parecia ser legal.
- Quer almoçar comigo? – meus olhos brilharam
- Claro, me pega na sala 15? – sorri simpática.
- Claro, estarei lá -   ele se despediu de mim  com um beijo calmo na bochecha  me fazendo sorrir. Então comecei a caminhar até a sala aonde era minha aula... E a primeira seria com o Justin. Aff nós somos duplas...
Entrei na sala e as mesas já estavam formadas em duplas, e Justin já estava em sua cadeira  e Tiffany novamente sentada na minha dando altas risadas com o idiota em seu lado.
- Então querida, a sua cadeira não é essa, quer vazar? – fui a mais educada possível juro.
- E se eu não quiser? - ela me enfrentou. Peguei seu cabelo por trás, mas ainda não puxei.
- Eu mesma te tiro - dei um leve puxão pra frente.
- CHEGA -  Justin esbravejou – Tiffany esse é o lugar dela, depois a gente  conversa e Rebecka não tem direito de fazer isso que falta de educação. – nossa ele é o senhor educador pra falar isso.
- Quando a educação tiver na sua casa manda ela me visitar depois - Tiffany saiu sem falar nada e eu me sentei não o olhando
- Olha o que aconteceu ontem... – o cortei.
- Eu não quero saber - falei rápida e o professor entrou três aulas se passaram como um vento, muito rápido, eu acho que hoje tem alguém La encima me ajudando. Assim que coloquei meus pés fora da sala Zayn estava lá  com um sorriso, Tiffany na mesma hora chegou e falou.
- O que ta fazendo aqui Zayn? Já falei que não vou voltar com você – eu apenas ri
- Quem disse que vim ver você? Eu vim pegar a Becky – ele disse pegando minha mão e saindo dali, eu tinha um sorriso enorme, a cada de derrotada dela era a melhor,  Ainda é só o começo, fofa.
 Eu e Zayn tínhamos muitos assuntos, nunca ficávamos em silencio... Nós não almoçamos no refeitório e sim em um jardim que fica atrás da escola, uma vez ou outra um monitor passava e a gente falava que estava estudando. Ele me contou sobre sua vida e até da Tiffany e eu fingi que não sabia de nada.
- Serio que ela era tão ciumenta assim? – a garota quase matou... Matou uma garota por que ela fez dupla com o Zayn e sem querer eles deram um selinho por descuidado.
- Ela é louca, ela acha que eu ainda a amo... Se é que eu já amei aquela louca – ri alto
- Ai Zayn você é mesmo uma piada – o papo estava muito bom, uma vez ou outra ele roubava um selinho de mim e eu achava isso o Maximo, eu estava começando a gostar dele... Não desse jeito, namorado... Ele é muito gente boa. Um amor de pessoa.
- E você qual é a sua com o Bieber? – ele perguntou e senti uma pontada na cabeça
- Nós não temos nada, aliás, nós nos odiamos... Eu acho. – dei ombro
- Você acha? – ele disse levantando as sobrancelhas
- Ah sei lá, é complicado, eu acho que ele ainda gosta de mim, é uma longa historia que eu estou afim de esquecer então por favor não pergunte – fiz cara manhosa
- Tudo bem – ele logo mudou de assunto e teve uma hora que percebi que estava bem perto de mim, e já sentia seu halito fresco de menta bater contra meu rosto,  minha respiração acelerou e eu não esperei o puxei para mim o beijando, meu deus mais que beijo! Ele realmente sabia como fazer isso, nossas línguas brincavam e ele apertava minha cintura contra seu corpo e isso era muito excitante... Pera o que? Ah foda-se. Tava muito bom, mas nosso fôlego aos poucos foram acabando
- Nada mal – falei rindo
- Você é ótima sabia? – sorri com isso
 Quando nos demos conta já havia batido o sinal, corremos para nossas salas e por que Deus é bom chegamos a tempo.
 Foi muito divertido nosso almoço, ele realmente parece ser um menino bom. Tomara que eu esteja certa.
[...]
Já eram  4:00 da tarde e eu estava voltando do meu quarto com a Melly e a Ceci. Fomos trocar de roupa, hoje o dia foi cansado.
Estávamos voltando para os gramados onde todos estavam nos tempo livre conversando e vi Ryan, fui ate ele por trás e tapei seu olho
- Adivinha - falei
- A garota mais linda de Los Angeles  - ele falou e se virou me dando um abraço forte
- Não acredito que você veio só por causa do idiota do Justin – falei o agarrando mais
Ryan é meu melhor amigo... Eu amo muito ele, confio nele mais do que a mim mesma, sempre que preciso quem esta aqui é ele.
- Eu vim por causa de vocês dois, meus dois melhores amigos que se odeiam – ele falou e eu ri
- Tudo bem, agora me fala que horas chegou?
- Faz nem vinte minutos, o Justin ficou super irado, por que conseguimos ser do mesmo quarto, ai ele me apresentou um tal de Chaz e Chris, super gente boa, novos parceiros, e falou que tem umas paradas para me contar que você esta envolvida.
- É Ryan em dois dias isso aqui já aconteceu muita coisa
- Não quer adiantar a historia pra mim? – ele fez cara de sofrido
- Ah não, to tentando esquecer isso, deixa pro Biba te contar - ele riu do apelido escroto que falei me referindo a Justin.
- Qual é? Me fala.
- Vou resumir, chegamos, garota ridícula, treta no vestiário, garoto lindo, brigas entre nós, beijo com a garota ridícula, Justin tentando me agarrar, brigas entre nós – falei rápido e ele ficou chocado
- EM DOIS DIAS? VOCES SUPERAM A CADA DIA – eu ri disso e dei uma tapa em seu braço.
 - Ah Ryan olha essa é a Melly, minha amiga, tinha esquecido completamente dela.
- Oi Melly – ele sorriu e a cumprimentou toda sem graça – Você é muito linda.
- Sai fora Ryan, Já ta de olho na minha amiga – ela riu e ele também.
 Estávamos ali falando sobre coisas bobas, e quando percebemos um movimento estranho  e uns alunos gritando.
“briga!”
- O que esta acontecendo? – perguntei e nós três caminhamos até o lugar
Eu não acredito em que eu estou vendo, Justin deu um soco na cara de Zayn, que estava com o  nariz saindo sangue, e depois Zayn partiu pra cima dele... Porra por que isso ta acontecendo? Precisava parar isso, então entrei La.
- PAREM! VOCÊS ESTÃO LOUCOS? SE A DIRETORIA CHEGA AQUI VOCÊS ESTÃO FERRADOS, E JUSTIN VOCÊ SABE MUITO BEM PARA ONDE VOCÊ VAI, SE TOMAR NO CU AQUI, PORRA E QUAL É A DE VOCÊS QUE DEIXARAM ISSO ACONTECER? – falei com eles e depois com os garotos que estavam envolta só observando tudo
- MAS QUE MERDA MESMO! JUSTIN VAI POR MEU QUARTO – ordenei
- Não vou a merda nenhuma vou quebrar esse cara, ele tava falando merda de você, inventando que te pegou Becky -  Justin falava com raiva
- Ele não mentiu, hoje ficamos juntos mesmo e ai? – via expressão de Justin passar de raiva para decepção.
- O que? - perguntou
- É isso mesmo cara, você é um babaca – Zayn falou.
- Justin vai pro meu quarto – olhei pra ele
- Não vou merda... – o interrompi
- VAI PRO MEU QUARTO, ANTES QUE A DIRETORA CHEGUE E VEJA ESSA MERDA QUE VOCÊ FEZ, ANDA, VOCÊ NÃO ESTA EM POSIÇÃO DE QUERER NADA – ele apenas se virou e começou a caminhar para os dormitórios.
- Zayn, me desculpa eu... – ele me interrompeu
-Ta tudo bem... Ele só gosta de você como você mesma falou
- Mas ele tem que parar, eu não gosto daquele imbecil.
- Por que mandou ele para seu quarto?
- Vou conversar com ele sobre uma coisa, Zayn, se formos expulsos daqui nós vamos para uma escola mil vezes pior na Alemanha, eu não quero isso e se o Idiota Bieber não der um jeito a gente se ferra – ele assentiu.
- Tudo bem
- Vai ficar bem?
- Sim
Tiffany observava tudo com uma cara que parecia o diabo, nunca vi essa garota assim. Meu deus credo. Ela pegou Zayn e falou que cuidaria de seu rosto.
- Ryan - o chamei – Vai pro quarto avisa os meninos que Justin esta La comigo e depois aparece lá – ele assentiu e foi.
Fui correndo para meu quarto e quando cheguei La Justin estava em pé, andando de um lado pro outro.
- Você é um idiota sabia? – falei fazendo-o me notar
- Você me mandou aqui para me insultar? Eu vou embora – ele falou
- Não eu vim aqui para conversar e cuidar dessa sua cara que ta sangrando – falei me aproximando – Senta ai menino – o empurrei para cair sentado na ponta da cama, fui até o banheiro e  peguei a caixinha de primeiros socorros
- Por que ta fazendo isso? – ele perguntou
- Não sou tão ruim igual você não Justin – o vi fitar o chão meio perdido
- Eu não sou ruim Becky – ele só me chamava de Becky quando não estava bravo.
- Comigo sim.
- Por que você merece, só faz merda comigo.
- Aé o que eu fiz pra você?
- Tudo, eu já tentei diversas formas de ficar de boa com você, mas nunca faço o suficiente – ele disse e eu sentei em sua perna vi ele se assustar.
- Que isso? – perguntou
- Vou limpar sua cara ué – molhei o algodão no álcool e passei em sua sobrancelha aonde tinha um pequeno corte
- Ai – gemeu de dor
- Calma – soprei com calma e depois fiz os mesmo nos cortes no canto da sua boca
Percebi que Justin me fitava de um jeito diferente, ele me olhava com os olhos brilhando, eu fiquei assustada, mas porra, esse garoto gosta mesmo de mim assim? Isso é errado poxa.
- O que foi? Ta me olhando ai -  ele não disse nada apenas pegou minha cintura em uma atitude rápida e colou nossos lábios, meu corpo todo ficou quente, e eu não sabia como reagir, mas mesmo tentando, eu não conseguia sair, aquela sensação, era boa, era luxuria, Justin pediu passagem de língua e eu não sei qual foi a minha, que na mesmo deixou sua língua me invadir e explorar cada parte da minha boca. Eu sei que isso era errado, não podia acontecer, mas meu corpo estava pedindo por isso... Eu escolhi isso.
Justin me apertou mais contra seu corpo e meus braços rodaram seu pescoço o trazendo mais pra mim, ah que merda esta acontecendo comigo? Eu não queria parar.
Nossas línguas dançavam junta uma valsa de sentimentos, meu corpo reagir de varias formas, eu me arrepiava, ficava fogosa, quente, com desejo de mais, parecia muito em estar fumando algo que vicie.
Justin sabia como fazer, foi o melhor beijo de todos não posso negar. Com o falta de fôlego ele me deu dois selinhos e roçou seus lábios em minha bochecha ate chegar ao pescoço começando a beijar aquele lugar, eu arfei e depois soltei um leve gemido... Isso tinha que acabar aqui.
- Justin – o chamei e ele me olhou
- Você não sabe o tempo que estou esperando por isso – ele falou e senti meu coração querer sair de dentro do peito. Porra por que ele faz isso? Ele sabe que sou muito derretida.
- Isso ta errado – tentei falar
- Eu não ligo – falou e pegou meu rosto levanto até o seu, mas eu desviei.
- Mas eu sim, isso vai dar muita merda, a gente vai se machucar muito por que tem muito ódio nisso – ele abaixou o olhar e depois em encarou.
- Você coloca as coisas muito difíceis, tudo em relação a você eu tenho que ficar tomando no cu, porra sabe há quanto tempo eu gosto de você garota?
- Sei, mas pensei que tinha parado.
- Pensou errado.
- E o que quer que eu faça?
Me de uma chance! - ele soava desesperado. Por que tem que ser assim? Eu prefiro quando estamos brincando de nos odiar do que enfrentar ele na minha frente me pedindo para dar espaço pra ele no meu coração.
CONTINUA?

19/01/2015

Capitulo 4 - Escolha Perfeita

Rebecka Ross P.O.V
Eu entrei no meu quarto com o rosto fervendo e as lágrimas descendo. Ele foi baixo dessa vez, acho que apesar de todas nossas briguinhas, eu não merecia humilhação frente à escola toda, nosso impasse era coisa nossa, ele me ridicularizou frente a todos, e ainda com aquela loira vadia. Aquela garota está mexendo com a pessoa errada, mas eu vou dar o que ela merece. Eu estava com a minha mente no que tinha acontecido. Minha vontade era de socar aquela garota até ela ir dar um Oizinho pro capeta, se ela acha que pode ter alguma autoridade sobre mim e se sente a dona do pedaço, ela está muita enganada. E Justin... Aquele ali vai se arrepender tanto que vai pedir pra ir pra tal escola na Alemanha. Por que eu vou acabar com a vida dele aqui.
- BECKY – Melly e Ceci entraram no quarto correndo e foram até minha cama. 
- Oi – disse sem animo algum e elas se entreolharam
- Garota o que foi aquilo? E todos estão comentando sobre isso e sobre Justin vim atrás de você e depois sair com cara de choro - quando ela falou isso meu estomago se revirou de uma forma que eu não sabia explicar... ele chorou? Que princesa, esse machão.
- E a vadia? – perguntei me sentando e cruzando as pernas de índio.
- Chamaram a Diretora, ela foi pra sala dela – Melly respondeu com uma cara de quem adorou.
- O que tem entre você e Justin, hein Ross? – Ceci perguntou se sentando em meu lado e em seguida Melly fez o mesmo.
- Vocês sabem o motivo que levou eu e aquele idiota virmos pra cá? – elas negaram com a cabeça como eu já esperava – Então peguem a pipoca que a historia grande... - Elas riram e se deitaram na cama e eu comecei a contar. Aquela conto de fadas que logo eu transformaria em uma serie de terror.
Eu fico vendo essas garotas, com um olhar de lealdade, elas me receberam tão bem, eu sinto que nelas eu posso contar, tomara que eu esteja certa. Sou tão insegura quando se trata de amigas, por que todas as baba ovos que eu tinha em Los Angeles, era por causa das minhas festas e por causa do meu dinheiro. Ceci e Melly não sabiam das minhas condições, elas me receberam como uma comum. Eu adorei isso.
Contei tudo, desde dia que fiquei com o Ryan e Justin ficou irado, desde  dia da minha casa... E quando acabei Melly fez uma cara de pensativa, e eu fiquei sem entender.
- O que foi? – perguntei.
- Pelo o que você falou ele gostava de você – a cortei.
- Nós tínhamos 13  anos... Isso não vem ao caso – ela me deu um tapa.
- Me deixa terminar de falar – ela disse me repreendendo com o olhar - Então, vai que ele ainda goste de você – ri muito alto quando ela falou isso. A diretora deve ter ouvido da sala dela.
- Ah não Melly pensei que você fosse um pouco mais inteligente – falei com cara de deboche -  Quem gosta não faz o que ele faz – disse e elas me olharam firme, prestando atenção no que eu tinha para falar – O único sentimento que tem entre eu e aquele moleque, é ódio – trinquei meus dentes, quando entrei nesse detalhe – Ele é bonito, sexy, mas com suas atitudes eu tomei NOJO, da cara dele – falei – E por favor, não voltem a repetir isso – falei  
- Você pode está entendendo tudo errado, Becky – Melly falou
- Minhas escolhas são perfeitas. – fui fria.
- Nada é perfeito – Ceci falou
- Acho que você entendeu... E vocês não vão acreditar em uma coisa – falei olhando com a aquela cara de que merda está por vim.
- O que? -  perguntaram em coro.
- Ryan vem pra cá amanha
Ouvi um grito fino sair da boca das duas e eu tapar meus ouvidos rindo.
 Justin Bieber P.o.v
A raiva estava consumindo meu corpo, aquela cadela acha que pode ficar me tratando dessa forma? Qual seria o motivo escroto deu combinar com a Tiffany de derrubar aquela bandeja nela? Agora sim eu estou com vontade, mas eu nunca jogaria tão baixo. Eu tentei me dar bem com ela hoje, eu tentei medir as palavras, o que eu pude fazer eu fiz. Parece que ela quer ficar aqui, nessa caralha de escola. Qual é esse lugar não presta! Não tem nada, parece lugares abandonados e os alunos são os zumbis.
Quando ela gritou daquela forma, minha garganta coçou, pequenas gotas d’agua se formaram no canto do meu olho, mas não era por que ela tava estava falando merda comigo por que isso seria gayzisse, mas sim de ódio – Respirei fundo, contendo a raiva - Saber que antes eu fazia tudo pra essa garota e ela tem a coragem de pegar meu melhor amigo, sabendo que eu dava o mundo pra ela, nem mesmo Ryan sabia que eu a amava tanto, apenas ela, e ela fazia questão de esfregar isso na minha cara. Só de pensar no dia que uns caras falaram dela, eu quebrei cada um, em pensar em cada dia que dormia chorando por que eu não tinha minha garota e de pensar que hoje eu tentei concertar as coisas e ela e sua estupidez sem fim atrapalhou mais uma vez... Ela tem é que se fuder mesmo, mas o jogo começou, Rebecka, e vim pra vencer.
 Eu estava sentindo uma falta de ar dentro de mim, por que tem que ser assim caralho? É tão difícil gostar de alguém e viver bem assim? Não que eu goste da Rebecka ainda, mas poxa eu não consigo gostar de NENHUMA garota, sempre elas fogem. Eu não gosto mais da Rebecka, mas me dói saber que ela foi a única menina que realmente gostei e ainda é a que eu mais odeio, que ela é a vadia que me arrepia e a vagabunda que consegue me estressar. Ela ainda vai acabar com a minha vida.
 - Cara, ainda bem que esta aqui – Chaz e Chris entraram.
- Oi – falei sem animo.
- Cara o que você tem com aquela garota? Vocês são, sei lá, um casal? – Chaz perguntou e eu gargalhei
- Não cara, não viaja – falei com deboche – Eu a odeio e ela me odeia, a gente se suporta por obrigação – falei respirando fundo e me sentando na beirada da cama. - É muito complicado – disse por fim.
Então contei aquela merda toda, toda a porra da historia desde o começo mesmo, aquele lero lero, de 15 anos que não acabava mais. E eles me olharam e começaram a rir.
- Qual é? Do que estão rindo? – perguntei indignado com as risadas altas deles.
- Você ainda não esqueceu a garota, Bieber – Chris falou rindo.
- Claro que esqueci cara, não é isso, ela só me tira a paciência, mas eu vou dar um trato nela – falei firme e eles sorriram maliciosos.
- Só acho que deveria fazer isso rápido, tem cara a querendo, Bieber - meu estomago se revirou e o sangue ferveu, eu não a permito ficar com ninguém e ela sabe disso. Todos os mauricinhos que tentou rolar algo com ela, eu fiz questão de atrapalhar? Por que? Por posse! Eu era o único que podia a irritar, e me deixava irado saber que alguém a quer.
- Quem? – perguntei, não dando muita emoção.
- Zayn, é um garanhão daqui, o maior comedor, mas dizem que ele comeu a supervisora, pra ela liberar ele para alguns momentos particulares com umas gatinhas – ri alto. Que nível baixo.
- Se ele tentar chegar perto dela, ele nunca vai poder comer uma gata, por que vou fazer um estrago nele  - falei decidido.
- Você não é o dono da garota, Bieber – Chris falou
- Como eu disse... Só a gente que se entende... Ela tambem me controla as vezes, na verdade ela sempre atrapalha tudo tambem. A gente é um caso perdido  – tentei falar e ele me interrompeu
- Você não pode querer fazer nada na vida dela, sendo que ela não esta com você – a raiva estava me atingindo, eu vou explodi - ela só vai te odiar mais -  Chris falou e eu o olhei por um tempo e depois fitei o chão.
- Sabe o que eu prefiro? – elas me olharam – Odiá-la e pegar uma gostosa daqui e colocar no lugar dela – falei eles se entreolharam.
- Você que sabe, qualquer coisa já sabe – ele deu ombros todo feliz – É só escolher,q eu a gente arruma um jeito – sorri.
Chaz foi pegar alguma coisa pra comer e Chris foi estudar.
Eles eram fodas, gostava do jeito deles, ainda bem que não fiquei em quarto de virjão, por que eu iria morrer Pensava que o povo daqui era aqueles boiolas formais, que não tinha nem beijado ainda, mas vejo que essa escola só tem nome, por que pelo o que eu estou vendo eles não tomam conta realmente.
Agora não temos mais aulas, já vai dar 6 horas da tarde e depois é o jantar. E agora somos livres até as 9. E eu não tinha nada para fazer.
Troquei de roupa, sai do quarto e fui para o jardim da escola, tinha muitas garotas fazendo aula de ginástica então decidir dar uma espiada.  Estava atrás do muro, ali era um bom esconderijo, para dar perdidos. Inglesas, tem uma coxa maravilhosa. O papai aqui gosta. Eu estava olhando qual seria minha primeira vitima.
- Oi – Tiffany chegou sorrindo do meu lado
- Oi, garota problema! – ela riu
- Não foi minha culpa – ela falou com cara de santa, mas eu podia enxergar o par de chifres que tinha em sua cabeça. Essa garota é fogo.
- Qual é Tiffany? Eu vi tudo – falei e ela olhou para cima -  Por que fez aquilo ? – ela bufou
- Só não gosto dela – ela disse por fim  - Ela é muito... Muito... – ela perder as palavras.
- Muito? – reforcei
- Ah não sei, mas eu não gosto. – ela disse se emburrando.
- Isso é motivo de fazer aquilo?
- Ah qual é, vai ficar dando sermão? – ela cruzou os braços – De você eu quero outra coisa, Justin – ela disse passando as mãos no meu ombro. Safada do caralho.
- Ela brigou comigo achando que eu tinha coisa haver com isso – falei me lembrando.
- Pensei que se odiavam.
- E nos odiamos, mas ai isso piorou – expliquei.
- Você namora, Justin? – ela foi direta.
- Não – falei ríspido.
- Então se importaria deu fazer isso aqui? – ela se aproximou e antes que eu fizesse algo ela pegou meu rosto e colou nossos lábios, nem ligo pra essas coisas, a garota é bonita, e ta me dando mole... Eu não recuso mulher. Eu sou Justin Bieber, as coroas de Los Angeles, quase me imploravam por uma noite de sexo. Aliás... Todas me querem. Puxei sua cintura e pedi passagem para minha língua e assim começamos um beijo, ela rodou seus braços em meu pescoço e cravava suas unhas em meu cabelo, essa garota era o fogo.
Depois de algum tempo perdemos o fôlego e ela me olhou vitoriosa.
- Era isso que tanto queria? – perguntei – Era só ter pedido, gata – falei piscando.
- Quero marcar território – arqueei a sobrancelhas e olhei em volta e três garotas viram, eu as reconhecia, elas andavam com Tiffany. Meu olhar rodou mais alguns metros e Becky estava ali, quer dizer...  Rebecka e nossos olhares se encontraram.
- Ta tudo bem? – Tiffany falou seguindo meus olhos, olhando firme para meu rosto.
- Ta. Ta sim, mas não faz mais isso, pensei que era proibido – disse com um sorriso.
- Ah, ninguém precisa saber. – ela disse arrumando seu decote.
- Elas viram – apontei para umas garotas, e Rebecka continuava ali, de braços cruzados me olhando. Isso, olha mesmo.
- Ninguém seria capaz de me dedurar – ela disse sorrindo -  alias... a diretora nunca acreditaria, e fico feliz de saber que a Vadia viu e deve estar se mordendo – ela gargalhou
- Ela não liga nem um pouco – falei revirando os olhos e fiquei sério – E não chama ela de vadia – falei – Só eu posso fazer isso. – ela me olhou torto.
- Você vai aprender muito por aqui – ela disse – Quem manda, quem obedece, quem tem as coisas, quem não tem.... – ela disse.
- Pensei que você era mais boazinha – falei sarcástico e sorri.
- Você não me conhece Bieber – ela saiu rebolando, que bunda, hein gostosa?
Quando me dei conta Rebecka estava vindo até mim, batendo palma e sorrindo.
- Que belo Show – ela disse batendo mais ainda suas palmas – Eu vou começar a vender ingressos para seus espetáculos – ela disse sarcástica – E ainda mentiu hoje – ela me olhou com frieza.
- Ela que me beijou e o que você tem haver com isso? – fui grosso -  O que eu faço ou deixo de fazer, garota, você não tem nada haver – disse e sua expressão mudou, era raiva. Isso que eu quero. - Como eu pude pensar que a gente podia se dar bem?  - ri - Você é ridícula, uma idiota, , e está com ciúmes por que gosta de me ver no seu pé, e agora minha atenção é para outra garota – respirei e vi que ela voaria em mim qualquer hora, está gostando Becky? Ainda está pouco. – Eu estou amando o meu show – falei e sai de perto dela.
Doeu-me falar aquilo, mesmo eu a odiando, ela é o tipo de pessoa que se machuca fácil, ela deve estar quebrada agora, mas foi preciso. Ela merece. Ela tem que saber que se ela quis se meter comigo, ela não vai sair ilesa. Se ela quer me foder, eu fodo ela também, dos dois jeitos se for preciso.
Rebecka Ross P.O.V
 Eu não acredito que aquele idiota tinha falado daquele jeito comigo, minha vontade era de dar um tapa tão forte na cara dele, que ele cairia de não e não ia levantar mais, mas ele saiu me deixando ali sozinha. Eu acho que a diretora adoraria saber o show que teve de graça hoje na escola. Hora de dar o troco, não é Tiffany?
Caminhei por aqueles corredores enormes  indo em direção a  sala da diretoria, era muito longe de onde eu estava, essa escola é grande demais. Então apressei os passos. Finalmente já podia avistar a grande porta em minha frente e me aproximei dela, mas quando ia bater, um garoto loiro, se olhos cor de mel, e boca carnuda deu de cara comigo saindo de dentro da sala. Esse idiota, tinha que aparecer! Tava demorando! Que horas que ele não atrapalha tudo? NENHUM, por que a donzela do Bieber parece que sente meu cheiro de longe e vem rastejando igual cachorro.
- Você ta me seguindo, garota? – ele perguntou assim que bateu seus olhos em mim. Seus olhos castanhos estavam mais cor de mel do que o normal.
- Sim, claro, até por que tenho motivos para isso – falei irônica – Você acha que eu ia te procurar, depois de tudo que você falou? – ri sarcástica.
- Só falei verdades – deu ombros
- Quando eu quiser sua opinião, Bieber – falei chegando bem próxima dele, próxima até demais – Eu te pago pra saber, mesmo eu achando desnecessário, por que tudo que sai dessa sua boca podre é merda -  falei e ri pelo nariz. Bieber me olhou fundo. BEM fundo, eu estava tentando entender seu olhar, e por que ele me fitava tanto e não falava nada! Essa é a hora que você rebate e a gente briga de novo!
- Quer o roteiro? – falei cruzando os braços, e ele não entendeu. Burro.
- Como?
- Essa parte, você fala mais, e a gente termina brigando – falei contorcendo o cenho e ele riu sem animo.
- Hoje a historia vai ser diferente – ele disse pegando minha cintura e começou a caminhar para frente e eu automaticamente andando para trás.
- O que vai ser? – fiz meu olhar mais malicioso do mundo – A branca de neve quer dar pro sete anões? – ri – Chaz, Chris, Niall, Zayn...  Tem muito cara por ai – dei ombros e ele me empurrou na parede, ficando próximo até demais, eu conseguia sentir sua respiração perto da minha.
- Brinca, Rebecka – me olhou tão serio que eu chegava a querer morder seu maxilar quando ele o trava dessa forma -  Vou te mostrar quem eu quero – falou sussurrando no meu ouvido e por um segundo, eu senti minha respiração pesar.
- Quem? – sussurrei no seu – O Ryan? Esperava ele chegar, sempre soube que vocês eram um casal – pisquei e ele se manteve sério, Justin olhou pro lado, depois para o outro lado. O que esse merda tem na cabeça? Sua mão estava na minha cintura me prensando na parede.
Em um ato rápido, Bieber me virou de costas na parede e passou seus lábios no meu pescoço.
- Ta fraco, Bieber – ri pelo nariz e ele mordeu meu ombro – Quer descontar sua raiva? – respirei fundo quando senti meu corpo reagindo aos seus lábios na minha pele - Faz direito – impliquei e sabia que ele não seguraria. Era isso que eu quero.
- Aé? – ele disse e puxou meus cabelos para trás e mordeu meu pescoço e eu arfei. Um de seus braços contornava minha cintura o outro passava a mão da cintura até minha coxa na parte interna e ele passou de leve os dedos na minha intimidade. E logo os tirou de lá. Agora você mexeu, Bieber.
- Ta muito fraco – falei rindo e ele ficou puto, senti seu membro, já ereto na minha bunda, agora sim, Bieber. Soltei um leve gemido e sua mão devorou meu pescoço.
- O que você veio fazer aqui? – ele perguntou e eu estava perdendo os sentidos.
- Te dedurar, claro – ri e senti q ele fechou os olhos ao ouvir minha voz. Bieber é muito fraco.
- E ainda vai fazer isso? – ele me virou de frente pra ele. A Magali podia sair por aquela porta e nos pegar. Ia ser uma cena e tanto, aliás, Justin se ferraria por causa do showzinho de hoje.
- E por que eu não faria? – perguntei mordendo os lábios, ele estava louco para me atacar.
- Por que se eu for pra Alemanha – ele pegou minha mão e colocou no seu obdomem e foi descendo... – Vai ficar sem isso aqui – por fim parou no seu membro.  Eu tirei rapidamente minhas mãos de lá e lhe dei um leve empurrão.
- Nunca me fez falta – ri – você que me deseja, Bieber – cheguei bem perto dos seus lábios e ele fechou os olhos com tanta tesão. – Mas eu só estou começando. – falei - Pra quem está com atenção em outra garota... Você deu uma recaída não acha? - Ri sarcástica - Vai se fuder, Bieber -  por fim o empurrei saindo dali.
- Bom trabalho com suas mãos hoje – gritei soltando uma risada e mandei um beijo no ar.
CONTINUAAAAAAAAA?